Rio Branco, Acre, 14 de maio de 2021

Gladson quer incluir profissionais da segurança e imprensa na vacinação prioritária de Covid

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O governador do Acre, Gladson Cameli, solicitou ao secretário estadual de Saúde, Alysson Bestene, que reunisse todos os secretários de saúde dos municípios, para juntos, debaterem a possibilidade de inclusão imediata dos operadores de segurança pública e da imprensa na lista de prioridades da vacinação contra a Covid-19. A solicitação ocorreu durante o evento de entrega de viaturas, na manhã desta sexta-feira, 26, no Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA).

No início desta semana, o governo do Estado solicitou ao Ministério Público do Acre (MPAC) uma recomendação oficial para que o Poder Executivo tenha a capacidade legal de superar o Plano Nacional de Imunização, que estabelece hierarquia para as diversas categorias profissionais.

“O que eu quero é dar prioridade aos nossos profissionais da área da segurança e da imprensa. Já solicitei o processo legal junto à PGE, comuniquei ao PNI e determinei a convocação de todos os secretários municipais para dar celeridade ao processo, informando quem realmente está na linha de frente, para que possamos iniciar a vacinação assim que formos autorizados. Toda semana está chegando doses da vacina e queremos colocá-los na lista de prioridade”, declarou o governador.

De acordo com os dados disponibilizados pelo painel de monitoramento estadual da Covid-19, e pelo banco de dados dos órgãos que integram o Sistema Estadual de Segurança Pública, foram registrados de 1 de abril de 2020 a 21 de março de 2021, 1.801 casos de infecção em profissionais da segurança e 11 óbitos. O quantitativo de casos representa cerca de 2,8% do total de infectados no Estado e 0,9 % do total de óbitos.

Levando em consideração a quantidade de operadores estaduais de segurança, incluindo policiais Civis, militares, policiais penais e bombeiros, totalizando 5.567 homens e mulheres, a cada mil desses profissionais, 323,5 precisam se afastar de suas funções, após contraírem a doença.

O secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar, enfatiza que a quantidade de agentes de segurança infectados no Estado já é maior proporcionalmente falando, que os profissionais da área da saúde, que lidam e trabalham na linha de frente, em hospitais de tratamento aos pacientes com Covid-19. A letalidade desses agentes de saúde é de 4,2%, enquanto que para os agentes de segurança pública é de 6,1%.

“Assim como o servidores da saúde, os profissionais da segurança também estão trabalhando na linha de frente nessa pandemia. Até usam equipamento de proteção adequado, mas a atividade exige muita das vezes o contato físico em diversas situações, fator preponderante para torná-los mais vulneráveis à contaminação pelo vírus. Já são 13 o número de profissionais que morreram em decorrência da Covid-19, nesse mais de 1 ano de pandemia e diante desses números, provamos a necessidade de priorização da vacina. Espero que nos próximos lotes, já possamos incluir a categoria”, finalizou o secretário.

Assessoria

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.