Rio Branco, Acre, 23 de abril de 2021

Menina de 9 anos morre ao tentar cruzar fronteira com os EUA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Uma menina mexicana de nove anos morreu ao tentar cruzar a fronteira pelo vale do rio Grande, no Texas, onde os Estados Unidos e o México são separados por água e áreas florestais. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (26) pelo Serviço de Alfândega e Proteção das Fronteiras (CBP, na sigla em inglês).

A criança, que não teve sua identidade revelada, foi encontrada no último sábado (20), com a mãe, que é guatemalteca, e um irmão de três anos, também mexicano. Eles estavam inconscientes em uma ilha no lado do rio que pertence ao México.

“Os agentes encontraram os indivíduos e imediatamente começaram a administrar os primeiros socorros durante o transporte dos imigrantes para a costa”, diz a nota do CBP. A mãe e o menino recuperaram a consciência, mas a menina, que foi levada pelos bombeiros a um serviço de emergência na cidade próxima de Eagle Pass, não sobreviveu.

Segundo o órgão, desde 1º de outubro, mais de 500 pessoas foram resgatadas tentando cruzar a fronteira ilegalmente apenas na cidade sulista.

O governo de Joe Biden enfrenta críticas em relação à grave crise migratória no, com o maior aumento de migrantes dos últimos 20 anos em sua fronteira com o México. E o número de crianças desacompanhadas detidas na divisa tem disparado.
Cerca de 9.400 menores estão entre os detidos e expulsos no mês passado, ainda segundo dados do CBP. Se considerados os números de outubro a fevereiro, o total é de quase 30 mil crianças e adolescentes.

Os centros de acolhimento de crianças, tanto os administrados pelo CBP ou pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS, na sigla em inglês), estão superlotados.

Na terça (23), o governo divulgou imagens internas de um centro de detenção de imigrantes em Donna, no Texas, após críticas de descontrole na fronteira e restrições ao acesso da imprensa para acompanhar o trabalho das patrulhas.

A divulgação das imagens pelo governo foi feita um dia após o site de notícias Axios revelar fotos internas do mesmo centro em Donna, mostrando condições de superlotação e improviso das instalações.

Nas imagens, é possível ver tendas com capacidade para 260 pessoas com lotação de até 400, sem respeitar o distanciamento social exigido pela pandemia do coronavírus.

Nesta sexta, duas delegações de legisladores, uma democrata e outra republicana, visitaram diferentes partes da fronteira. Em Donna, o senador Ted Cruz, usando um boné com a bandeira do estado, criticou a gestão do democrata.

“O que está acontecendo é desumano”, disse. O também senador republicano pelo Texas John Cornyn afirmou que os agentes de fronteira e oficiais de saúde “estão sobrecarregados”.

A cerca de 320 km de distância, em Carrizo Springs, também no estado sulista, os democratas visitaram outro centro. A deputada Ilhan Omar, que chegou aos Estados Unidos como refugiada da Somália quando criança, disse que a situação dos menores lembrou sua própria trajetória.
“Eu também fui uma menina que, como esses menores, fugiu de uma violência inconcebível”, afirmou.

Questionado sobre os problemas de imigração em sua primeira entrevista coletiva na quinta (25), Biden admitiu que “não há resposta fácil” e disse que é “totalmente inaceitável” ter crianças detidas por mais tempo do que a lei americana permite e em condições inapropriadas.

O presidente afirmou que “está trabalhando” para tirar os menores dos centros de detenção o mais rapidamente possível, com segurança, mas sem dar detalhes sobre a operação. “As únicas pessoas que não vamos deixar ficar sentadas sozinhas do outro lado do rio Grande, sem ajuda, são crianças”, disse.

Com informações Folhapres

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.