Rio Branco, Acre, 18 de abril de 2021

Pesquisa avalia efeitos da pandemia e do isolamento social na vida de jovens e adolescentes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Em junho do ano passado, para entender os efeitos da pandemia e o isolamento social na vida de jovens e adolescentes, o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) lançou o relatório da pesquisa “Juventudes e a Pandemia do Coronavírus”.

Um ano depois do primeiro caso confirmado no Brasil, o Conjuve realiza, neste mês, a 2ª edição da consulta, para compreender o momento. O questionário da pesquisa está disponível no link bit.ly/juventudesepandemia2.

O objetivo é saber, de jovens que têm entre 15 e 29 anos, como tem sido sua experiência em relação às dificuldades de acesso a serviços essenciais, os impactos na saúde mental, na segurança alimentar, na segurança pública e também na estabilidade política.

A pesquisa é realizada em parceria com as instituições Em Movimento, Fundação Roberto Marinho, Mapa da Educação, Rede Conhecimento Social, Unesco, Porvir e Visão Mundial, e foi planejada com o objetivo de criar estratégias de enfrentamento aos desafios impostos pela Covid-19.

O Conselho Nacional de Juventude foi criado em 2005 pela lei 11.129, que também instituiu a Secretaria Nacional da Juventude e o Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem). Ele reúne algumas das principais lideranças e organizações juvenis do país, além da representação de ministérios do governo federal.

Entre as suas atribuições, está a de formular e propor diretrizes da ação governamental voltadas à promoção de políticas públicas de juventude, desenvolver estudos e pesquisas sobre a realidade socioeconômica dos jovens, articular, engajar e mobilizar redes e organizações juvenis e promover o intercâmbio entre as organizações juvenis nacionais e internacionais.

Pesquisa avalia efeitos da pandemia e do isolamento social na vida de jovens e adolescentes. Foto: Divulgação

Com 33.688 jovens participantes de todo o país, a pesquisa se consolidou como a maior consulta já realizada “com e sobre” jovens na história do país e uma das maiores do mundo. Com a segunda onda do coronavírus, também é possível observar o comportamento da pandemia ao longo deste ano e os seus efeitos na vida de jovens e da sociedade, a partir de suas próprias perspectivas.

Para o chefe do Departamento da Juventude da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), Robson Vidal, a enquete é um ótimo instrumento para enxergar como os jovens estão adaptando seu estilo de vida à pandemia e como estão sendo afetados, em todas as classes sociais, principalmente as mais vulneráveis. “Teremos dados mais concretos para desenvolvermos políticas públicas para esta nova realidade. Nossa meta é que a pesquisa alcance cerca de 600 jovens no estado”, afirma.

O Conjuve busca comparar dados e fazer novas descobertas, sempre com o objetivo de constituir uma base sólida de evidências, definir prioridades e caminhos na ação “com e para” as juventudes do Brasil.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.