Rio Branco, Acre, 21 de abril de 2021

Focado em Tóquio, Arthur Zanetti segue preparação olímpica com a seleção no Rio

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Campeão olímpico em Londres-2012, Arthur Zanetti segue sua rotina e chega ao fim da primeira das duas semanas do camping de treinamento com a seleção brasileira de ginástica artística, preparatório para os Jogos Pan-Americanos, de 4 a 6 de junho, no Rio de Janeiro, e a Olimpíada de Tóquio, de 23 de julho a 8 de agosto, no Japão. O camping segue até o próximo dia 17, na arena do Time Brasil, na capital fluminense.

“O objetivo desse camping é avaliar os atletas. Já estamos no fim da primeira semana, de treinamento, mas também teremos as avaliações na próxima semana. E essas avaliações vão contar para selecionar a equipe do Brasil para o Pan-Americano e também com certeza – eles não falam né, mas a comissão técnica também já está de olho – a equipe para a Olimpíada”, disse Arthur Zanetti.

O formato de treinamento em bolha ajuda para garantir a segurança e a saúde dos atletas, disse Zanetti, que também gosta de treinar em São Caetano do Sul (SP), perto da família – o seu filho Liam vai completar seis meses. “A comissão técnica precisa juntar todos os atletas avaliar. Para a segurança de todos tem testagem e protocolos bem seguros. E aqui é só ginásio-hotel-ginásio, a gente não faz mais nada. Todos precisam se preocupar com a saúde”, considerou.

A quase 100 dias para a Olimpíada, Arthur Zanetti considera que sua preparação está no caminho certo. Disse que o trabalho “está indo bem”, como o planejado. “Estou treinando forte, focado nas argolas, mas fazendo solo e salto de vez em quando para dar uma relaxada na cabeça, para não estressar. Mas o objetivo mesmo é a argolas e o treino está seguindo muito bem. O corpo está respondendo bem aos treinamentos”, comentou.

Os colegas da seleção ajudam a motivar, é uma convivência positiva na avaliação do campeão olímpico. “Estar com os outros atletas da seleção treinando junto é bem legal porque o nível é alto, há a disputa para ver quem vai tirar a melhor nota. E também, ao mesmo tempo, um ajuda o outro a fazer o seu melhor. Isso é importante!”, completou o ginasta.

 

Com informações Estadão Conteúdo

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.