Rio Branco, Acre, 14 de maio de 2021

Inscrições para a Olimpíada de Língua Portuguesa continuam abertas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Continuam abertas as inscrições para a 7ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa(OLP). Os professores das redes públicas estaduais, municipais e federais podem se inscrever até 30 de abril pelo site escrevendoofuturo.org.br. O programa traz um novo formato em 2021, com foco ainda maior na valorização da prática e do trabalho desenvolvido pelos docentes e no reconhecimento de produções realizadas por todos os alunos de forma coletiva.

A iniciativa é uma parceria entre Itaú Social e Ministério da Educação (MEC), sob coordenação técnica do CENPEC (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária). A Olimpíada busca contribuir para a melhoria do ensino e aprendizagem da leitura e escrita nas escolas públicas por meio de ações de mobilização para a formação continuada. A partir da metodologia do programa Escrevendo o Futuro, são realizadas oficinas de produção de texto com os alunos do 5º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio. O tema do concurso é “O lugar onde vivo”, um estímulo à reflexão sobre as realidades locais.

A proposta deste ano consiste em acompanhar e reconhecer os relatos de prática, com os registros dos processos de ensino-aprendizagem vivenciados pelos professores e estudantes durante o trabalho de produção de um dos gêneros propostos: poema (5º ano), memórias literárias (6º e 7º), crônica (8º e 9º), documentário (1ª e 2ª séries do Ensino Médio) e artigo de opinião (3ª série do Ensino Médio).

O novo formato foi construído a partir da escuta com os professores participantes de edições anteriores e do monitoramento do programa. Identificou-se que quanto mais professores e alunos se envolvem com as atividades propostas pela Olimpíada, melhores são os resultados para a escola como um todo. Nesse sentido, a produção coletiva é uma forma potente para ampliar o engajamento da comunidade escolar.

Desde a última edição, o programa homenageia autores da literatura brasileira. Neste ano, a homenageada é a escritora e poetisa Geni Guimarães, cuja obra viabiliza o debate em torno da literatura negra. Entre suas principais obras estão “Leite do peito”, “Balé das emoções” e “A cor da ternura”.

 Seleção e premiação

Para que os professores e seus alunos participem da Olimpíada, é necessário que a secretaria de educação à qual sua escola é vinculada – municipal ou estadual – faça a adesão por meio do Portal Escrevendo o Futuro. No Acre, além da rede estadual, 20 municípios já fizeram a adesão.

Durante todo o ano, os docentes terão apoio de recursos pedagógicos para o desenvolvimento das atividades, como cursos on-line, percursos de formação, planos de aula, pautas instrutivas, vídeos pedagógicos, entre outros.

O processo de seleção terá cinco etapas ao total: escolar, municipal, estadual, semifinal e final. No segundo semestre, os professores deverão postar no ambiente virtual um relato de prática reflexivo, acompanhado de produções textuais e/ou audiovisuais da turma e um registro do trabalho realizado (fotografia, vídeo, áudio). Reunidos, esses materiais vão contar a história do percurso da turma.

Entre as premiações estão notebooks e assinatura de periódicos para os docentes, além de certificado e leitor de livro digital para as respectivas turmas. As escolas dos vencedores receberão como prêmio acervo para biblioteca.

A Olimpíada de Língua Portuguesa conta com a parceria da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação), da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura.

Acre foi medalha de ouro na última edição

A equipe da escola Humberto Soares da Costa, composta pelos estudantes Eloís Eduardo do Santos, Raele Brito, Thomaz Oliveira e a professora Ynaiara Moura, conquistou a medalha de ouro na categoria documentário da última edição. A produção Nordestinos no Acre mostrou a história da migração dos nordestinos para o estado durante o Primeiro Ciclo da Borracha (1880-1920), tendo como pano de fundo a história da família de um dos alunos da equipe.

O documentário foi gravado e editado pelo aparelho celular. Além dos finalistas da Humberto Soares, outros quatro estudantes da rede estadual e um da rede municipal de Xapuri conseguiram chegar até a fase semifinal. (Com informações da Assessoria da OLP).

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.