Rio Branco, Acre, 15 de junho de 2021

CPI da Covid: Calheiros ameaça prender Wajngarten após chamá-lo de mentiroso

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Nesta quarta-feira (12), o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid , ameaçou o ex-secretário de Comunicação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Fábio Wajngarten , de prisão. Calheiros disse que vai pedir à revista Veja os áudios da entrevista que gerou críticas a Wajngarten em relação ao enfrentamento da pandemia de Covid-19 para comprovar se ele está falando a verdade.

De acordo com o relator, Wajngarten teria mentido ao dizer que não tinha conhecimento da existência de um “ministério paralelo”. “Vossa senhoria é a prova da existência dessa consultoria [paralela] porque iniciou essa negociação, dizendo-se em nome do presidente. É a prova. Vossa excelência é a primeira pessoa que incrimina o presidente da República”, afirmou Renan.

“Eu queria, presidente, sugerir à vossa excelência, requisitar o áudio da revista Veja para nós verificarmos se o secretário mentiu ou não mentiu. Se ele não mentiu, a revista veja vai ter que pedir desculpas a ele. Se ele mentir, ele terá desprestigiado e mentido ao congresso nacional, o que é um péssimo exemplo. Queria dizer que vou cobrar a revista Veja. Se ele mentiu a revista veja e a esta comissão eu vou requerer a vossa excelência na forma da legislação processual, a prisão do depoente”, pediu Calheiros ao presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM).

Em entrevista à Veja , Wajngarten afirmou ter participado de negociações para compra de vacinas e se referiu ao ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, como “incompetente” e “ineficiente”.

Aziz disse que atenderá ao pedido de Calheiros e acredita que “alguém esteja mentindo”. “Vou pedir para requerer à revista Veja, que possa nos dar o áudio da gravação, sem cortes”, declarou o presidente da CPI.

Anteriormente, o relator afirmou que o ex-secretário “exagerou na mentira”. “Hoje, aqui no depoimento. Vossa senhoria citou uma fala da campanha com Otávio Mesquita como modelo de esclarecimento. Mas mentiu para a CPI, porque falava para o Brasil…”, continuou ele até ser interrompido por outros senadores e a sessão ser suspensa.

  • Fonte: IG.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.