Rio Branco, Acre, 19 de junho de 2021

População carcerária no Acre reduz 26%, mas deficit em presídios ainda é de 1.654 vagas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Dados de um levantamento exclusivo do G1, dentro do Monitor da Violência, mostra que a quantidade de presos no Acre reduziu 26%, isso porque em 2020, a população carcerária do Acre era de 8.174 pessoas, já este ano, esse número caiu para 6.043, sendo 1.992 de presos provisórios.

O levantamento tem como base informações oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. Mesmo com a redução, o Acre ainda apresenta uma taxa de superlotação de 37,7%, porque tem capacidade para 4.389 presos e atualmente comporta 6.043, mantendo um deficit de 1.654 vagas.

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) informou que há 10 unidades penitenciárias em todo o estado.

Covid nos presídios

Ainda segundo o levantamento, 286 presos no Acre foram infectados pelo coronavírus, sendo que quatro morreram vítimas da doença. Já com relação aos servidores, 574 tiveram Covid-19 e três profissionais morreram em pouco mais de um ano.

A primeira medida para conter o avanço da contaminação dentro das unidades prisionais foi a suspensão das visitas. O último decreto prorrogando essa suspensão foi divulgado no dia 19 de abril deste ano. Tanto no interior como na capital, familiares chegaram a fazer protesto pedindo a retomada das visitas alegando que os presos estariam sendo agredidos. Na época, a direção do Iapen diz que ia apurar as denúncias.

Com a pandemia, os relatos dão conta de um agravamento da situação no interior das unidades. “Houve um período em que a grande maioria dos presos apresentou sintomas relacionados à Covid-19, como febre, dor de cabeça e dificuldade de respirar. No entanto, eles não obtiveram atendimento médico e ainda relatam que em alguns casos foi ministrado apenas medicação analgésica. Quando os presos solicitaram atendimento, eram espancados pelos policiais penais”, diz um relatório de inspeção feito pelo Mecanismo Nacional de Combate à Tortura no Acre. Já houve quase 450 mortes causadas pelo novo coronavírus no sistema prisional.

Fonte: G1 Acre.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.