Rio Branco, Acre, 15 de junho de 2021

Prefeito de cidade do interior de Goiás diz ter combinado verba milionária com o senador do acreano Márcio Bittar, parlamentar nega

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Nesta última sexta-feira (14), o senador acreano Márcio Bittar (MDB), e o prefeito da pequena cidade de Gameleira de Goiás, estado de Goiás, Wilson Tavares, (Democratas), apresentaram, versões diferentes acerca da destinação de 20 milhões de reais do governo federal ao município goiano.

De acordo com o jornal Crusoé, o senador acreano é mostrado em uma planilha elaborada pelo Planalto como padrinho da indicação da verba milionária, destinada a Gameleira de Goiás, como moeda de troca na negociação entre o governo Bolsonaro e o Congresso.

Segundo disse o prefeito Wilson Tavares, ao jornal O Popular, do estado goiano, ele chegou a ser informado pela assessoria de Bittar, ao fim do ano passado, que a verba iria chegar ao município. “Em Brasília, eu converso com todos os senadores e ele (Márcio Bittar) só quis nos ajudar”.

Tavares disse que foi mal interpretado em sua entrevista a Crusoé, que foi concedida na última quarta-feira (12), e que chegou a negar conhecer o padrinho do recurso que encheu os cofres da cidade e dizendo ainda que a verba teria sido enviada pelo Planalto por livre e espontânea vontade.

Contudo, a conversa do prefeito com o jornal Crusoé, foi gravada e diverge com a versão do político. O trecho da conversa:

Na planilha do governo, o repasse para Gameleira de Goiás aparece associado ao senador Márcio Bittar. Qual é a relação dele com o município?

Não, eu desconheço. A gente não fica sabendo. Como é uma emenda extra orçamentária, eu não sei quem colocou pra mim.

Mas o senhor não teve nenhuma articulação com alguém no Congresso pra pedir essa verba? O governo federal mandou simplesmente por mandar?

Aham.

O senhor não fez nenhum pedido ao governo federal? Ou o governo mandou de ofício?

Não, mandou de ofício. *Nenhum pedido via Congresso? * Não.

Nenhum diálogo com o Desenvolvimento Regional, com o ministro?

Não. Ao ser questionado acerca da mudança de versão, Wilson não respondeu mais e ainda bloqueou o contato da reportagem, via celular. Já o senador Márcio Bittar não falou nem antes nem depois da publicação. Em entrevista, negou que houvesse destinado qualquer tipo de recurso para o município goiano. “Quando eu mando é tudo para o meu Acre. Não tem nada meu nesses recursos. Não é um dinheiro que eu tive sob o meu comando”, disse.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.