31.2 C
Juruá
quinta-feira, agosto 11, 2022

Diretor-geral da OMS: “Evento cancelado é melhor que vida cancelada”

Por

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse nessa segunda-feira (20/12) que “um evento cancelado é melhor do que uma vida cancelada”. O chefe da OMS comentava o risco de transmissão da Covid-19 durante as festividades de fim de ano.

De acordo com a BBC Internacional, Tedros disse que “decisões difíceis”, como o cancelamento ou adiamento de festas precisam ser tomadas diante do avanço da variante ômicron.

“Todos nós estamos fartos desta pandemia. Todos nós queremos passar tempo com amigos e familiares. Todos nós queremos voltar ao normal. (…) É melhor cancelar [um evento] hoje e celebrar amanhã do que comemorar agora e sofrer mais tarde”, declarou.

“Existem agora evidências consistentes de que o ômicron está se espalhando significativamente mais rápido do que a variante delta. E é mais provável que as pessoas vacinadas ou recuperadas da Covid-19 possam ser infectadas ou reinfectadas”, prosseguiu o diretor.

Quais os sintomas da variante ômicron?

Segundo a OMS, a variante da Covid-19 apresenta um “grande número de mutações”, algumas preocupantes.

A ômicron foi detectada pela primeira vez na África do Sul, onde já responde por mais de 90% das infecções.

O Reino Unido já soma 12 mortes pela variante. Cerca de 73% dos novos casos da doença nos Estados Unidos são da nova mutação.

Segundo o mais recente balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, na semana passada, o Brasil tem 19 casos confirmados da variante ômicron.

De acordo com informações recolhidas por médicos do maior plano de saúde privado da África do Sul, a variante ômicron do coronavírus causa mais dois sintomas diferentes das cepas anteriores do Sars-CoV-2.

Entre os mais de 78 mil casos da variante confirmados no país, estão sendo verificados muitos relatos de garganta arranhando e dor na região lombar.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!