33.9 C
Juruá
sexta-feira, agosto 12, 2022

Criança indígena morre com síndrome respiratória em Cruzeiro do Sul

Por Redação O Juruá em Tempo.

Por volta das 23 horas desta quarta feira, 29, o pequeno Rauani Kaxinawá, de apenas 1 ano de idade, veio a óbito no Hospital Regional do Juruá onde estava internado há mais ou menos 6 dias com síndrome respiratória. Essa é a primeira morte registrada na cidade de Cruzeiro do Sul, por síndrome respiratória aguda grave. A Criança residia no minicípio de Feijó.

Seu estado de saúde agravou-se na última madrugada, evoluindo para síndrome respiratória aguda. A criança foi levada para a Unidade de Terapia Intensiva UTI, onde ficou entubado por cerca de duas horas, mas não resistiu.

Em entrevista, o médico pediatra Rondney Brito informou que a criança deu entrada ao hospital no dia 24 do mês de junho: “Ela deu entrada com hipótese diagnóstica de uma síndrome respiratória, diagnóstico inicial de bronquiolite, já entrou relativamente grave no hospital e seu estado foi agravando, até o dia de ontem a gente teve a necessidade de transferência dela para a UTI, onde essa criança teve uma complicação respiratória grave com uma alta taxa de mortalidade que chama-se pulmão de SARA (Síndrome Respiratória Aguda Grave) que é síndrome da angústia respiratória aguda, essa criança deu entrada na UTI por volta de 22:00 horas da noite às 23:30 horas a gente não obteve êxito na estabilização dela devido à gravidade do pulmão dessa criança”

O médico enfatiza que: “Ao todo, no Hospital do Juruá, são 6 crianças internadas com síndrome respiratória, algumas já receberam alta, é importante frisar que essas outras 6 crianças, duas delas deram entrada com estado de saúde grave, porém estão estáveis no momento, estamos obtendo sucesso no tratamento dessas duas crianças. ”

O médico reforça ainda que: “A gente já observa que a incidência desses casos vem diminuindo. É importante as pessoas se conscientizarem que neste período de verão aumentam bastante o número de queimadas, então é importante evitar porque a gente tem crianças com problemas pulmonares, problemas de asma, então as queimadas elas agravam esses quadros. ”

O especialista também falou um pouco sobre o plano de contingência para este momento: “Em relação a questão da elaboração do plano de contingência hospitalar, nós já fizemos esse plano de contingência, ele já está em execução no momento, ontem não faltou nada, questão de tratamento da criança, ela teve seu leito de UTI resguardado, a gente abriu vagas de enfermaria pediátrica e abriu uma enfermaria de semi-intensivo, ou seja, para aquelas crianças que precisam de um cuidado intensivo maior, mas não necessitam de UTI. Então aquelas crianças que têm um desconforto respiratório vão para a sala de semi-intensiva. Esse plano foi elaborado há mais de 15 dias e está em execução desde o início da semana, importante ressaltar que estamos tendo todo o apoio do governo do estado, inclusive com aditivo de contrato, pois o governo se sensibilizou com a causa das crianças para não repetir o que aconteceu em Rio Branco, disponibilizando, inclusive, a contratação de mais pediatras caso seja necessário. ”

O médico explica ainda que: “No momento estamos dispondo inicialmente da UTI do Hospital do Juruá que é uma UTI adulta que não tem homologação pediátrica. A gente tem dois leitos pediátricos, específicos para pediatria e nesse plano de contingência que foi elaborado nós vamos dispor de mais 3 leitos, então vamos ficar com 5 leitos de retaguarda pra caso preciso for a intubação traqueal ou uma medida de tratamento de ventilação invasiva. Essa criança ter todo esse aporte do hospital, então estamos viabilizando uma ampliação da enfermaria.

O médico reforça ainda que os pais devem tomar cuidado com os filhos, no sentido do uso de máscara, lavagem das mãos, uso de álcool em gel e demais cuidados de higiene.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!