24 C
Juruá
domingo, junho 26, 2022

Saúde do Acre descarta caso suspeito de sarampo em criança de 4 anos e 2ª contraprova deve ser feita

Por

A Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) descartou o caso de sarampo no estado que estava em análise. No início de maio, foi identificada uma menina de quatro anos com suspeita da doença, na cidade de Assis Brasil, mas foi feita a contraprova pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que descartou o caso.

Inicialmente, o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) informou que as coletas de sangue swab e urina foram encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Rio Branco, e, seguindo protocolo do Ministério da Saúde, foram enviadas à Fiocruz, no Rio de Janeiro, para nova testagem e contraprova.

Apesar de a primeira contraprova ter descartado o caso, uma segunda contraprova deve ser enviada à Fiocruz para uma segunda análise, de acordo com a secretaria.

Nota da saúde

Sobre o caso da criança de 4 anos, moradora do município de Assis Brasil, com suspeita de sarampo, a Vigilância em Saúde (VS), da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), informa que aguarda o envio de uma segunda amostra de soro do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para que possa se posicionar sobre o resultado.

A primeira amostra enviada ao laboratório, teve seu resultado positivo para a doença, contudo o Exame Complementar de Diagnóstico (RT-PCR), de urina e teste Swab, com coleta de secreções, apontou para um resultado negativo.

Mediante a tais circunstâncias, a Vigilância em Saúde decidiu solicitar o envio de uma segunda amostra de soro, para que tanto o Ministério da Saúde (MS), quanto a Secretaria de Estado de Saúde do Acre, possa se posicionar sobre o caso.

Sarampo no Acre

Os últimos casos confirmados de sarampo no Acre ocorreram no ano de 2000, com o registro de três casos no município de Acrelândia, um em Mâncio Lima, um em Plácido de Castro e seis em Rio Branco, totalizando 11 casos.

Conforme dados do PNI Estadual, ao analisar uma série histórica dos últimos 8 anos dos casos notificados de sarampo, nota-se uma regularidade no número de notificações, mantendo uma média entre dois e cinco casos notificados. O ano de 2015 não apresenta essa similaridade, já que não houve nenhum caso notificado no decorrente ano.

No ano de 2018, o Acre relatou 64 casos distribuídos nos municípios de Plácido de Castro, Rio Branco, Capixaba, Acrelândia, Senador Guiomard e Tarauacá, sendo todos descartados por critério laboratorial. O município de Rio Branco apresentou o maior número de notificações, totalizando 51 casos.

Já em 2019, 11 casos foram registrados no estado, pelos municípios de Cruzeiro do Sul, Feijó, Plácido de Castro e Rio Branco, sendo que todos também foram descartados por critério laboratorial, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde. E nos anos de 2020 e 2021, não houve notificações de sarampo.

O sarampo é uma doença viral e imunoprevenível, ou seja, a melhor forma de prevenção é através da vacinação, no qual confere imunidade a 95% da população que recebe as duas doses da vacina tríplice viral, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde.

No Acre, no ano de 2021 a cobertura vacinal do tríplice viral com a 1ª dose foi de 58,62%, com um total de 9.543 doses aplicadas e de 25,32% da 2ª dose, o que corresponde a 4.122 pessoas imunizadas.

Com informações G1 Acre

error: Alert: O conteúdo está protegido !!