24.5 C
Juruá
sexta-feira, agosto 12, 2022

Máscaras e suspensão de eventos reduziram os casos de Covid-19 no Brasil

Por Veja Abril.

Quando os primeiros casos de Covid-19 apareceram no Brasil, no final de fevereiro de 2020, os 27 estados brasileiros responderam com a implantação de medidas protetivas não farmacêuticas. Os efeitos dessas intervenções foram objeto de um estudo da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, que, utilizando dados diários de março a dezembro de 2020, estimaram seus impactos nos casos e mortes pela doença, em doze estados brasileiros.

Na pesquisa, liderada por Louise Russell, descobriram que duas medidas – restrições em eventos públicos, escolas e comércio não essencial e o uso obrigatório de máscaras – foram as maiores responsáveis por uma redução significativa na propagação do vírus.

Segundo os pesquisadores, as restrições totais e parciais a eventos públicos diminuíram a taxa de crescimento de casos de Covid-19, de 1,30 para 0,227. As máscaras também foram eficazes, com uma redução da taxa de crescimento de 0,060.

Os autores do levantamento também observaram que o efeito combinado de suspender eventos públicos e impor o uso das máscaras reduziu a taxa de crescimento da doença para quase 1 ponto. O que comprova que o uso de intervenções não farmacêuticas é muito importante em todos os países, não só para diminuir a propagação do vírus, como também para minimizar os impactos econômicos e sociais do controle da Covid-19.

Segundo a pesquisa, essas medidas são especialmente relevantes em países de baixa e média renda como o Brasil, que têm mais trabalhadores em empregos informais e sem segurança, infraestrutura precária para ensino à distância e menor capacidade de estimular suas economias.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!