24.9 C
Juruá
sexta-feira, abril 19, 2024

Com bom humor, professora russa mostra cotidiano na internet após se mudar para Acre

Por g1.

- Publicidade -

Ela já chegou a enfrentar -39 Cº na Rússia, mas agora encara quase o oposto, com temperaturas que constantemente ultrapassam os 30 Cº. A professora Aleksandra Shogenova chegou a Rio Branco há cerca de 8 meses, após casar com um acreano em Moscou.

“Cheguei no começo de setembro do ano passado, estou no Brasil há quase 8 meses. Meu voo veio de Moscou para o Catar, do Catar para São Paulo, de São Paulo para Brasília e de Brasília para o Acre. Por agora, só conheço de passear o Acre. Sou casada com brasileiro, meu marido é do Acre. Mudança foi difícil porque não sabia nada de português e quase nada de inglês, me perdi no aeroporto de São Paulo. Isso deve ser tradição dos estrangeiros, mas no final deu tudo certo. Quando saí do avião no Acre, o sol era muito forte e pensei que ia morrer de calor. Fiquei assustada, não imaginava tanto calor”, contou ao g1.

Por enquanto, ela diz que tem dificuldades com a língua portuguesa e utiliza um tradutor on-line. Porém, em seus vídeos, ela se faz entender com muito bom humor. Somente no TikTok, ela já tem mais de 10 mil seguidores.

Experiência com a culinária regional

Em um dos vídeos, Aleksandra experimenta iguarias acreanas — Foto: Reprodução

Em um dos vídeos, ela experimenta iguarias da região, como açaí e banana frita. Em outro, flagra o momento em que um ciclista pega uma “carona” e se segura em uma moto que trafegava ao lado na BR-364, e diz que a cena inusitada lembrou sua terra natal.

Apesar do conteúdo sobre o Acre, ela diz que o público é variado e tem pessoas de outras regiões.

“O público é variado de lugares diferentes do Brasil. Sempre digo que cheguei pelo outro lado do mapa, que fica mais perto da Rússia, mostro que Acre existe e as pessoas sempre perguntam sobre dinossauros, e como eu vim parar aqui”, disse.

Diferenças e semelhanças

Em resposta a um seguidor, Aleksandra fala sobre o "Vezdhod", veículo capaz de circular pela neve — Foto: Reprodução

Nos comentários, os acreanos que acompanham Aleksandra se identificam com o ponto de vista sobre a vida no estado, e também apresentam curiosidades sobre a vida na Rússia. Um vídeo mostra Aleksandra respondendo a um seguidor que perguntou se é verdade que os russos têm tanques na garagem de casa. Em resposta, ela explica que de fato é comum a utilização do “Vezdhod”, capaz de circular pela neve.

“Na Rússia eu era professora de língua russa para crianças, mas aqui apenas faço os vídeos para mostrar um pouco de rotina e adaptação. Primeira coisa que vi é que no Brasil se usa menos roupas e as pessoas gostam muito de abraçar, são muito amigáveis. Na Rússia, não tocamos nas pessoas que não são próximas. Já uma coisa parecida, é que quando sou convidada na casa de alguém, sou muito bem recebida, sempre muita comida e convidado se sente em casa, as pessoas recebem com ‘alma grandona’. Na Rússia, também temos muito carinho com convidados”, destaca.

Em seu tempo no Acre, os lugares favoritos de Aleksandra são o Horto Florestal e a Universidade Federal do Acre (Ufac), onde diz que gosta de alimentar os jacarés. Ela diz que, na Rússia, algumas pessoas sabem sobre o Acre por conta da novela O Clone, da autora acreana Gloria Perez. Família e amigos ficam assustados por acharem que no Brasil há uma grande proximidade com animais e insetos perigosos, mas ficam felizes pela nova vida que ela constrói.

“Maioria de pessoas na Rússia sabem sobre Rio de Janeiro e São Paulo, acham que o resto do Brasil é tudo floresta. Mas alguns sabem um pouco do Acre, porque Giovanna Antonelli é muito famosa na Rússia por causa da novela O Clone, da Glória Pérez, e ela é do Acre. Na Rússia, todos também assistiram à novela Escrava Isaura. Minha família e amigos acham que no Brasil muitas coisas assustam, como proximidade de animais como os jacarés, aranhas ‘grandonas’ mas, ficam felizes porque eu estou feliz”, ressalta.

- Publicidade -
Copiar