28.8 C
Juruá
quarta-feira, abril 24, 2024

Ao afirmar que é mais caro ir para Cruzeiro que para a França, Edvaldo pede fim de isenção do ICMS para a Gol: “não está servindo absolutamente para nada”

Por Assessoria.

- Publicidade -

Diante das constantes reclamações de passageiros que utilizam os serviços da Companhia Gol Linhas Aéreas, no trecho Rio Branco a Cruzeiro do Sul, o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) apresentou um projeto de decreto legislativo que suspende os efeitos do decreto 2.194, de 21 de maio de 2019, que concede às grandes companhias isenção no combustível. A iniciativa do parlamentar não afeta os voos regionais praticados por empresas locais.

“No Juruá, a Gol não só desrespeita a frequência de voos, que é tudo final de linha, ela pratica a tarifa mais cara do Brasil. É mais caro ir para Cruzeiro que ir para França. Só que o governo do estado concede um benefício para esta empresa de isenção da cobrança de ICMS do querosene de aviação. Quer dizer, a Gol ganha um incentivo, atende mal, cobra caro e a gente fica com a cara, literalmente, de otários. A minha proposta é muito simples. Retira o benefício para este tipo de aviação, não para aviação regional, que tem o mesmo benefício. Nós precisamos tirar esse benefício da grande empresa”, disse o parlamentar.

Edvaldo Magalhães reforçou dizendo que é preciso “tirar esse benefício da grande empresa, que não está servindo absolutamente para nada, para o consumidor acreano. O que justifica a Gol cobrar R$ 1.600,00, dependendo do dia? Você entra dentro do avião não tem 20% de ocupação. Nos precisamos tomar alguma atitude para que essas empresas deixem de abusar do povo do Acre, porque é um abuso”.

- Publicidade -
Copiar