28.2 C
Juruá
terça-feira, abril 23, 2024

Após atos racistas da torcida, Escola João Calvino é suspensa dos Jogos Estudantis do Acre

Por ge.

- Publicidade -

A Escola Presbiteriana João Calvino foi suspensa dos Jogos Estudantis do Acre, nesse domingo (28), por causa de atos racistas praticados pela torcida contra um dos estudantes da Escola Águias do Saber, na última sexta-feira (26), no ginásio do Colégio Meta, em Rio Branco.

Conforme apuração do ge, o fato ocorreu durante uma discussão em quadra. É possível ouvir o momento em que, entre vários xingamentos, há ofensa racista da torcida, chamando o estudante da Escola Águias do Saber – não identificado – de “macaco”. O fato ocorreu no confronto de vôlei entre as duas equipes.

A decisão de suspender a Escola João Calvino foi tomada pela Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE), que divulgou nota pública nas redes sociais destacando que não tolera qualquer tipo de ato racista e preconceito.

Nota pública da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esportes — Foto: Divulgação

– Não será tolerado qualquer tipo de ato racista ou preconceito. Essa competição possui, acima de tudo, um caráter pedagógico – diz um trecho da nota.

A Federação Acreana de Desporto Escolar (Fade), que está promovendo os Jogos Escolares de Cruzeiro do Sul, manifestou repúdio aos atos racistas. Na manhã desta segunda-feira (29), estudantes e a comissão organizadora fizeram o gesto da campanha antirracismo.

Estudantes e comissão organizadoras dos Jogos Escolares de Cruzeiro do Sul fizeram o gesto antirracismo — Foto: Reprodução/Fade

– Essa manifestação é, claro, em razão de casos ocorridos em outras cidades, mas aqui em Cruzeiro do Sul estamos empenhados nesse trabalho de conscientização, de educação – diz o presidente da Fade, João Renato Jácome.

Com a suspensão, a Escola João Calvino fica impossibilitada de competir em todas as modalidades dos Jogos Estudantis de 2023.

Ao ge, a direção da Escola João Calvino divulgou nota se posicionando sobre o ocorrido. A instituição de ensino disse que não compactua com atitudes racistas, que tem projetos “voltados para a conscientização sobre a cultura e a valorização da comunidade negra” e que está apurando o caso (veja abaixo a nota na íntegra). A escola pretende recorrer da decisão.

Veja a nota na íntegra

 

A Escola Presbiteriana João Calvino vem por meio desta nota de esclarecimento abordar um possível incidente de racismo ocorrido durante os jogos escolares, no qual o nome da nossa escola foi mencionado. Gostaríamos de deixar claro que a escola não compactua com nenhum tipo de ato racista, e estamos empenhados em investigar completamente esse caso.

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que a nossa escola possui diversos projetos voltados para a conscientização sobre a cultura e a valorização da comunidade negra. Estamos comprometidos em promover a igualdade, a inclusão e o respeito mútuo entre todos os nossos alunos e membros da comunidade escolar.

Atualmente, estamos realizando uma investigação minuciosa sobre o incidente. Estamos analisando vídeos e conversando com os professores de Educação Física que estavam presentes no momento do ocorrido. É fundamental verificar caso a caso, uma vez que havia várias torcidas de outras escolas presentes no evento esportivo, o que dificultou a individualização da prática do ato reprovado ou mesmo se ele ocorreu.

Reforçamos que repudiamos veementemente qualquer ato de racismo e estamos comprometidos em tomar as medidas necessárias para garantir que todos os envolvidos sejam responsabilizados. Trabalharemos em conjunto com as autoridades competentes para resolver essa questão de forma justa e adequada.

Pedimos à comunidade escolar e à sociedade em geral que aguardem o resultado da nossa investigação antes de tirar conclusões precipitadas. Estamos comprometidos em tratar esse incidente com seriedade e transparência, garantindo a segurança e o respeito dentro do ambiente escolar.

Reiteramos o nosso compromisso com a igualdade e a promoção de uma cultura de paz e tolerância.

Todo nosso corpo estudantil é composto de maneira mista de etnia, cor, gênero e situação socioeconômica e religiosa. Como serviço publico no campo da educação, a Escola Presbiteriana João Calvino preza pelo bem, pela verdade junto as pessoas e a Deus.

Portanto, nossa ação, palavras e pensamento não correspondem a intolerância de qualquer tipo, cultura de cancelamento, exclusão e preconceito.

A direção da Escola Presbiteriana João Calvino, seu corpo profissional e estudantil caminha em direção à ética da formação humana, espirito coletivo e amistoso. Acreditamos que ações precipitadas possam causar dano físico e mental em nossos jovens que não participaram e não tiveram nada a ver com o ocorrido.

Vamos utilizar esse episódio como uma oportunidade para fortalecer ainda mais os nossos projetos de conscientização e educação, visando construir uma comunidade escolar inclusiva e livre de discriminação racial.

Agradecemos a compreensão de todos e reforçamos o nosso compromisso em combater o racismo em todas as suas formas.

Atenciosamente,
Direção da Escola Presbiteriana João Calvino.

- Publicidade -
Copiar