22.8 C
Juruá
domingo, abril 21, 2024

Detentas do presídio feminino de Cruzeiro do Sul vão trabalhar na confecção de fardamento escolar

Por Redação

- Publicidade -

Detentas do Complexo Penitenciário do Juruá e a Federação das Indústrias do Acre, firmaram parceria com três representes de malharias de Cruzeiro do Sul, para a confecção de fardamento escolar na região.

A parceria pretende oferecer qualificação profissional às detentas com intuito de inseri-las no mercado de trabalho após deixarem a unidade prisional, como explica o diretor do complexo, Elvis Barros.

“É um momento de felicidade para nós, tendo em vista que já foi feito um curso e está sendo colocado em prática o que elas aprenderam. Poderão ter uma renda extra, e assim, estar remindo pena, e, acima de tudo, o que achamos mais importante, a oportunidade de trabalho que elas vão ter assim que pagarem suas penas”, avalia.

Ao menos nove reeducandas concluíram o curso de costura e irão trabalhar na confecção do fardamento escolar, que contou com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

A empresária Milta Santos explica que o objetivo também é empoderar essas mulheres e apoiá-las para que conquistem autonomia.

“Nós, enquanto empresárias, estamos abraçando esse projeto para promover não só autonomia, mas o empoderamento da mulher. É um projeto que visa fortalecer a mulher, empoderar a mulher, e estamos aqui não com a visão empresarial, mas com a visão social”, destaca.

As participantes serão divididas em grupo de três e cada grupo ficará responsável por uma empresa de malharia. Uma das detentas que fizeram o curso e agora integram a atividade, conta que vai aproveitar a oportunidade, já que as ofertas de emprego para ex-presidiários são raras.

“Como a gente já fez o curso, vamos colocar em prática o que a gente aprendeu, porque lá fora é muito difícil conseguir um trabalho, e as empresárias estão dando oportunidade para quando sairmos, não voltarmos pra essa vida”, ressalta.

Com informações G1

- Publicidade -
Copiar