23.7 C
Juruá
domingo, abril 21, 2024

Em reunião no Ministério do Desenvolvimento Regional, governador defende melhorias de infraestrutura de transportes no Acre

Por Redação

- Publicidade -


O reforço para a melhoria da infraestrutura, como a de transportes, incluindo o acesso aéreo do Acre entre os municípios do estado e para as demais regiões do país, além de solução para o problema dos preços das passagens aéreas, foram algumas das reivindicações feitas pelo governador Gladson Cameli, em reunião com o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, nesta segunda-feira, 22, em Brasília.

Governador Gladson Cameli reivindica melhorias para o Acre em reunião com ministro Waldez Góes. foto: Pedro Devani/Secom

“Não é possível que a população do Acre continue pagando preços absurdos em passagens aéreas e tendo que vir para Brasília para poder chegar no estado de Rondônia, que é nosso vizinho”, exemplificou o governador sobre as dificuldades de infraestrutura de transporte, inclusive aérea, no estado.

O encontro teve por objetivo alinhar com os estados da Região Norte a elaboração participativa de diversos planos, desde o novo Plano de Desenvolvimento do Governo Federal – que inclui prioridades apresentadas pelos Estados e pelas cinco regiões do país – ao Plano Plurianual Participativo e aos planos de Desenvolvimento Regional, de Fronteira e de Proteção e Defesa Civil, além do fortalecimento de instrumentos de desenvolvimento regional como a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

O encontro teve por objetivo alinhar com os estados da Região Norte a elaboração participativa de diversos planos. Foto: Pedro Devani/Secom

O governador também conclamou a união de todas as forças estaduais, assim como todos os estados do Norte do país, para o fortalecimento na defesa dos interesses regionais. “Precisamos ter as condições para atrair investimentos na região, melhorar a infraestrutura dos transportes, incluindo os serviços de ir e vir”, disse, lembrando ainda que a atração de investimentos também requer “conectividade com o mundo” e que significa “internet de qualidade”.

Apoio

Na  reunião, que teve a participação de representantes dos sete estados do Norte, o governador parabenizou a iniciativa do ministro Waldez e reforçou o seu apoio. “Temos que pensar numa região com todos os projetos de investimentos necessários para que possamos, de fato, melhorar a vida da população”, disse ele, que já no encontro indicou o secretário de Planejamento, Ricardo Brandão – presente no evento – para atuar diretamente com o Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional com este objetivo.

Secretário de Planejamento, Ricardo Brandão, em reunião no Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional. Foto: Pedro Devani/Secom

Na ocasião, o secretário reforçou a fala do governador, lembrando que o desenvolvimento da Amazônia está diretamente ligado à integração rodoviária e aérea.

“Chega a ser gritante que dentro do Acre não tenhamos os municípios interligados por voos aéreos e que os preços das passagens para outros locais custem entre cinco a seis mil reais ida e volta”, exemplificou lembrando, também as dificuldades de acesso terrestre e ressaltando que para falar em desenvolvimento é preciso “superar o pressuposto básico, que é garantir a livre circulação de pessoas e mercadorias entre os nossos estados”.

Pactuação

Governador Gladson Cameli trata de desenvolvimento do acre com o ministro Waldez Góes e outros representantes dos estados do Norte. foto: Pedro Devani/Secom

O ministro Waldez Góes – que é ex-governador de outro estado do Norte, o Amapá – afirmou-se solidário, inclusive, por conhecer de perto a realidade da região, garantindo estar determinado a contribuir com as soluções. Ele também reforçou a importância da “participação e acompanhamento direto e constante dos governos” locais nos planos tratados no encontro, incluindo a indicação das pessoas que serão responsáveis por esse trabalho direto com o ministério.

“Todos esses compromissos já estão em curso. O que pactuamos é que cada estado tenha o seu ponto focal para tratar as informações, o monitoramento em tempo real da execução dessas agendas, em contato com o ministério. Isso dará outra dinâmica e poderemos cumprir os prazos”, disse, exemplificando com o Plano Plurianual, que precisa ser entregue em agosto para avaliação do Congresso Nacional. O ministro disse, ainda, que a previsão é que, no início de junho, seja lançado o novo Plano de Desenvolvimento do Governo Federal.

- Publicidade -
Copiar