30.3 C
Juruá
sexta-feira, maio 24, 2024

Em Tarauacá, alunos enfrentam lama e igarapé para tentar estudar em escola abandonada

Por redação.

- Publicidade -

O descaso com a escola rural de Ensino Médio e Fundamental Antônio Américo de Figueiredo, na comunidade do Suíço, em Tarauacá, é o reflexo de uma educação abandonada pelo poder público.

Falta absolutamente tudo para que as 18 crianças e adolescentes que estudam na unidade tenham a mínima condição de ensino, conforme registro em vídeo e fotos feito pela dona de casa Kelly Mota, que tem duas filhas estudando na unidade escolar. As imagens foram encaminhadas ao Notícias da Hora.

A estrutura é precária. O banheiro não oferece qualquer condição de uso. A fossa no quintal da escola é coberta com tábuas podres, o que põe em risco a vida dos alunos.

O acesso à escola é outro sério problema. Sem ponte, as crianças se arriscam na travessia de um igarapé. O ramal também é intragável.

“Não tem pranchão, não tem ponte, não tem uma pessoa para auxiliar as pessoas no igarapé. É um descaso mesmo o que as nossas crianças vivem aqui. Nossa comunidade é esquecida pelo poder público. Aqui o igarapé ainda está raso… Em dias mais cheios, o perigo que elas enfrentam… Fora os ramais… A gente fala do igarapé, mas os ramais não são de brincadeira… Tanto ficam ilhadas a crianças em dias de chuva como os moradores. Não temos ramais, não temos ponte. Somos esquecidos aqui”, relata Kelly Mota.

Procurada pelo NH, a secretária municipal de Educação, Maria Lucicléia, disse em nota, via assessoria de imprensa da prefeitura, que há uma reforma prevista para ser executada na escola Antônio Américo de Figueiredo ainda este ano.

A prefeitura reconhece a precariedade da estrutura do estabelecimento escolar e a necessidade urgente de intervenção, mas lamenta a dificuldade de logística e o pouco dinheiro para execução de obras.

“Informamos que a reforma desta escola está prevista para ser realizada ainda neste ano, assim como outras escolas da zona rural que também passarão por reformas. Entendemos que a situação é preocupante e a necessidade é imediata, mas gostaríamos de destacar que a atual gestão já reformou mais de 20 escolas da zona rural e todas as escolas da zona urbana, que foram entregues para atual gestão em situação precária. Sabemos que todos os munícipes querem o benefício simultaneamente, mas é importante frisar que a logística para a realização destas obras é complexa e os recursos são limitados.”

  • Por Luciano Tavares, do Notícias da Hora.
- Publicidade -
Copiar