22.8 C
Juruá
domingo, abril 21, 2024

Para acolher público feminino, empresária abre academia só para mulheres em Cruzeiro do Sul

Por Tácita Muniz, g1 AC.

- Publicidade -

Para acolher público feminino, empresária abre academia só para mulheres no interior do Acre  — Foto: Arquivo pessoal

Proporcionar um ambiente acolhedor e que a aluna se sentisse mais à vontade fez com que a empresária Keite Mayara Lopes expandisse um espaço que tinha no quintal de casa para treinar para um empreendimento que hoje atende 300 mulheres em Cruzeiro do Sul.

Ela disse que nunca pensou em ser dona de academia, mas as coisas foram acontecendo aos poucos e hoje ela é dona do empreendimento “Bonecas de Ferro”, academia voltada apenas para o público feminino.

Recém casada na época, Keite disse que montou uma pequena academia no quintal de casa para que ela, o marido e a sogra tivessem mais privacidade ao executar os exercícios.

“Quando meu esposo e eu casamos eu tinha 17 anos, era aquele casamento recente e não queríamos estar frequentando academias, porque somos evangélicos e alguns movimentos eram constrangedores. E sempre tive vontade de praticar a musculação, então a gente comprou alguns poucos aparelhos, fiz alguns cursos, mas eu não tinha ainda formação em educação física, só os cursos para malhar em casa com minha sogra e meu marido”, conta.

Keite foi pegando gosto pela musculação e também pela área. Em 2019, no auge dos ataques de facção, ela percebia que muita gente ficava mais temerosa em sair, principalmente quem trabalhava na área da segurança pública, e aí começaram os pedidos para que ela abrisse esse pequeno espaço para mais gente.

“Muitas amigas estavam com quadro depressivo, principalmente policiais, por estarem mais resguardadas, pessoas da igreja, que não tinha condições de pagar aula particular também sentiam essa necessidade. Porque, para nós mulheres, há um certo constrangimento pela posição que precisamos ficar em alguns aparelhos. Então, comecei a agregar”, destaca.

Há encontro, desafios que são feitos pela academia e envolvem todas as mulheres  — Foto: Arquivo pessoal
Há encontro, desafios que são feitos pela academia e envolvem todas as mulheres — Foto: Arquivo pessoal

‘Musculação salva vidas’

Até então, um espaço de uma academia aberta ao público geral não passava pela cabeça de Keite. Segundo ela, como era no quintal de casa, tirava a privacidade da família e não tinha estrutura para isso. Porém, as pessoas foram relatando melhoras em quadros depressivos e isso acabou virando um incentivo para a empresária.

“Digo que a musculação salva vidas e a gente tem um ambiente familiar que a gente sempre tenta agregar as pessoas como parte dessa família, não vejo só como um empreendimento”, destaca.

O espaço foi caindo, literalmente na boca do povo. No início, Kate se assustou com a repercussão e alertava que não tinha espaço e nem equipamento para ajudar todas. As próprias mulheres deram a ideia de irem ajudando com alguma quantia e na compra de materiais e ali, o negócio de quase 5 anos ia tomando forma.

No início foi difícil, já que a empresária tinha curso, mas não era formada na área de educação física. Isso a fez lidar com alguma denúncias de exercício ilegal da profissão, entre outras coisas, pois a viam como concorrência.

Hoje ela é formada na área e aos poucos o empreendimento foi crescendo. Atualmente, são seis profissionais de educação física que atuam na academia – 3 formadas e 3 finalizando o curso.

“Hoje sou personal trainer internacional, porque eu queria esse reconhecimento, porque os EUA são o berço da musculação e sempre tento levar minha evolução e minha forma de treinar tendo minha personalidade própria. Também sou especialista em nutrição esportiva e fisiologia do exercício, além disso tenho cursos de fisioterapia do exercício e também curso de gestantes na musculação. Mas, o principal é que não me sinto uma empresária, me sinto uma pessoa que Deus usa para mudar a vida de outras pessoas. E não falo só do físico, mas de um todo”, desabafa.

Todo espaço é pensando para que as mulheres se sintam bem e acolhidas  — Foto: Arquivo pessoal
Todo espaço é pensando para que as mulheres se sintam bem e acolhidas — Foto: Arquivo pessoal

Além do exercício

Keite disse ainda que o espaço não só determina exercícios físicos, mas também trabalha a mente dessas mulheres e ela chega a se emocionar quando uma aluna se mostra grata com os resultados.

“A sociedade impôs padrões e as pessoas estão demais nisso e deixam de viver por causa da estética, tento mudar de dentro para fora também. Somos mais de 300 alunas e todas são de treinos individuais, personalizados, porque muitas chegam lesionadas ou com dores e vamos tendo este tratamento diferenciado com cada uma delas. Não trabalho com fichas de treinos, aqui os treinos são surpresa, individual, e personalizados para cada uma.”

Depois do treino, às vezes, há atividades recreativas para descontrair essas mulheres. Tentado trazer melhor conforto a todas que o ambiente, mesmo que simples seja um lugar bom de está seguro e feliz pra elas.

A academia também disponibiliza suplementos para alunas que não têm tantas condições. Creatina de graça, whey protein e pasta de amendoim (bombons).

Na área de higiene é disponibilizada uma toalha limpa todos os dias no banheiro, além de sabonete normal e íntimo para aquelas que tomam banho no local. Um espaço só para mulheres também é pensado para as necessidades diárias, então há também absorventes noite e dia, além de refrescante bucal, pasta de dente e antitranspirante.

“Meu retorno é ver essas mulheres felizes, não só o retorno financeiro, não há nada que pague, como é gratificante ouvir de pessoas que estamos mudando a vida delas, pessoas que se consideram, aqui ela malha, pega peso, se sente em casa, aqui é uma família”, destaca.

Ela conta ainda que já teve propostas para horários para atender casais, mas ela disse que não cogita isso, porque seria uma demanda ainda maior. Já que ela também é instrutora de tiro e ainda mãe de dois bebês.

Nayana diz que se sente mais à vontade em uma academia voltada só para as mulheres  — Foto: Arquivo pessoal
Nayana diz que se sente mais à vontade em uma academia voltada só para as mulheres — Foto: Arquivo pessoal

‘Me sinto à vontade’

Uma dessas alunas é Nayana Neves. Ela está na academia desde novembro do ano passado e diz que foi exatamente por ser um local voltado para mulheres que a fez querer malhar no Bonecas de Ferro.

“A minha satisfação é notória porque o resultado no meu corpo está atendendo minhas expectativas e lá eu conto com três instrutores que me acompanham e uma delas é a própria Kate. Todas são maravilhosas e trabalham em cima do teu corpo. A academia é um espaço maravilhoso, sou muito satisfeita e o que me levou foi justamente por ser uma local para usar um top, um cropped, colocar um shortinho ficar mais à vontade para fazer até certos exercícios, hoje minha preferência é sempre treinar na academia só para mulheres”, diz.

- Publicidade -
Copiar