25.8 C
Juruá
quarta-feira, abril 17, 2024

“Sou contra o PL das Fake News”, afirma Zezinho Barbary

Por Assessoria.

- Publicidade -

O plenário da Câmara dos Deputados deve votar nesta terça-feira 02, o projeto de lei das Fake News, depois de ter sido aprovada a urgência para que o PL tenha prioridade de votação no plenário da Casa.

O deputado Zezinho Barbary lamentou a ausência de um debate mais aprofundado para uma matéria tão complexa que objetiva estabelecer regras para evitar a disseminação de informações falsas nas redes sociais. Ele enfatizou que até agora não ocorreu um debate público para o esclarecimento das regras impostas no projeto de lei, gerando muitas dúvidas na sociedade civil e até mesmo entre os parlamentares, que serão responsáveis pela aprovação da matéria.

“Entendo que é preciso coibir crimes realizados por meio da internet, assim como banir de vez as fake news. No entanto, não podemos permitir a limitação da opinião de qualquer pessoa. Nesse projeto precisamos separar o joio do trigo para não corrermos o risco de fragmentarmos a liberdade de expressão” – argumentou Zezinho Barbary.

Instalação da CPI do 8 de janeiro

Zezinho Barbary assinou no último dia 20 de abril, o requerimento para a criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que vai investigar os atos ocorridos no dia 8 de janeiro, que resultaram na invasão das sedes dos Três Poderes.

O deputado federal do partido Progressista defendeu a instalação do colegiado, que segundo ele, é necessário para a devida apuração dos fatos e do confronto de narrativas, para o esclarecimento da verdade.

O parlamentar acreano disse que assinou o requerimento na certeza de que a CPMI possa fazer um trabalho de investigação com seriedade e, ao mesmo tempo, corrigindo toda e qualquer injustiça que tenha sido cometida contra quem ainda está, neste momento, pagando injustamente pelos crimes de outros.

“Espero que os parlamentares indicados pelo meu partido, o PP, para integrar a CPMI, possa realizar um bom trabalho de investigação, de forma independente, para que os fatos sejam devidamente esclarecidos” – disse o deputado.

- Publicidade -
Copiar