32 C
Juruá
domingo, abril 14, 2024

Acre: Menores taxas de mortalidade em acidentes envolvendo motociclistas

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -

Boom' de entregadores: aumento das mortes da população negra

O estado do Acre aparece como o terceiro estado brasileiro com a menor taxa de mortalidade de motociclistas após acidentes de trânsito, com média de 2,1 óbitos a cada 100 mil habitantes, atrás apenas dos estados do Rio de Janeiro e do Distrito Federal, que detêm os menores números.

Com relação às internações hospitalares, o estado acreano ocupa a 16ª posição entre as unidades da federação, com taxa de 5,3 a cada grupo de 100 mil habitantes. A taxa média nacional é de 6,1 internações a cada 100 mil habitantes.

Os dados foram revelados pelo Ministério da Saúde (MS), que comparou dados de 2011 a 2021, com base em estimativa populacional, e estão disponíveis no Boletim Epidemiológico de 27 de abril de 2023.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, as lesões de trânsito são um importante problema de saúde pública global, configurando entre as dez principais causas de morte em países de baixa e média renda.

No Brasil, essas lesões foram responsáveis, em 2020, por mais de 190 mil internações nos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) e hospitais conveniados, destas, 61,6% eram de motociclistas.

Em relação à mortalidade foi a primeira causa na faixa de 5 a 14 anos, e a segunda nas faixas de 15 a 39 anos, no total de 32.716 óbitos, destes 36,7% eram motociclistas.

Estudo estimou o custo para a sociedade de cerca de R$ 50 bilhões por ano com acidentes de trânsito, a maioria deste custo relativo é da perda de produção das vítimas, seguido pelos custos hospitalares.

Os motociclistas são envolvidos em lesões de trânsito com consequências mais graves. Além dos custos hospitalares, o maior valor estimado é referente à perda de produção das pessoas (41,2%), causando o empobrecimento das famílias e em caso de morte, os custos recaem sobre a previdência social.

  • Fonte: AC24horas.
- Publicidade -
Copiar