25 C
Juruá
sexta-feira, abril 12, 2024

Guaxupé: Sistema desenvolvido no Acre aumenta em 30% a produção da pecuária

Por Redação

- Publicidade -


Composto por tecnologias de baixo impacto, o sistema denominado Guaxupé permite intensificar a atividade pecuária, com menor investimento econômico e benefícios para o meio ambiente. O método se baseia no uso de diferentes forrageiras, consórcio com leguminosas, controle preventivo de plantas daninhas e manejo adequado do pasto.

Desenvolvido pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), em parceria com pecuaristas do Acre, o modelo de produção proporciona pastagens com alta produtividade de forragem de qualidade e de longa duração, que elevam a rentabilidade de sistemas pecuários a pasto.

De acordo com a Embrapa, resultados de pesquisas confirmam aumento de 30% na produtividade de carne e de bezerros por hectare e redução nas emissões de gases de efeito estufa na atividade. Indicado para solos com baixa capacidade de drenagem – característica predominante no Acre – o Sistema Guaxupé utiliza tecnologias e práticas gerenciais sustentáveis para a produção pecuária intensiva a pasto.

Desenvolvido ao longo de 25 anos de pesquisa, para as condições ambientais específicas do Acre, o método se baseia em quatro conceitos: o uso de diferentes forrageiras para diversificar e manter as pastagens produtivas; consórcio de forrageiras com leguminosas capazes de fornecer nitrogênio para o solo; controle preventivo de plantas daninhas, para reduzir gastos com reforma; e manejo adequado do pasto, para garantir a oferta contínua de forragem para o rebanho.

O sistema é indicado para solos sem aptidão para a agricultura, devido à baixa capacidade de drenagem, pois utiliza tecnologias e práticas gerenciais sustentáveis para a produção pecuária intensiva a pasto. As condições ambientais levadas em consideração para o sucesso do sistema são as específicas do Acre.

Outra vantagem apontada é a redução de gastos com insumos como rações e adubos, pois a tecnologia permite que pastagens se mantenham produtivas por vários anos e o Sistema Guaxupé ainda contorna um dos grandes desafios das pastagens no Acre: a Síndrome da Morte do Braquiarão.

Os detalhes do Sistema Guaxupé estão na publicação SISTEMA GUAXUPÉ – Modelo de Intensificação Sustentável da Pecuária de Corte Baseado em Pastagens Permanentes de Alta Performance, Ricas em Leguminosas, de autoria dos pesquisadores Carlos Mauricio Soares de Andrade, Maykel Franklin Lima Sales, Judson Ferreira Valentim, Giselle Mariano Lessa de Assis, Eufran Ferreira do Amaral e Falberni de Souza Costa, todos da Embrapa-Acre.

“O Sistema Guaxupé é um modelo de intensificação diferenciado, idealizado para atender às particularidades existentes na bovinocultura do Acre, no que diz respeito ao predomínio de solos mal drenados e sem aptidão para a agricultura intensiva, e relações de troca menos favoráveis da carne bovina com fertilizantes, rações e outros insumos da produção”, diz o estudo.

Entre os pecuaristas envolvidos no desenvolvimento do sistema, Francisco de Sales, proprietário da fazenda Itaituba, no município de Bujari, diz: “Quando você tem um pasto consorciado como esse aqui, você pode dormir tranquilo. Se ocorrer um problema com o capim, você tem a leguminosa. Se for com a leguminosa, você tem o capim. E o ganho de peso do gado vai aumentar 30%. Então, não tem outra solução melhor para pastagem do que esse consórcio.”

Outro pecuarista, Luiz Augusto do Valle, proprietário das fazendas Guaxupé e Lua Nova, em Rio Branco, afirma que “O amendoim forrageiro é a melhor oportunidade que temos para aumentar a qualidade da forragem e a produtividade dos pastos tropicais, com baixo custo.”

Na publicação da Embrapa, são descritas as bases conceituais e tecnológicas desse modelo de intensificação e apresentadas as principais recomendações técnicas para sua adoção na pecuária do Acre.

Em seguida, são mostrados resultados de pesquisas que confirmam o potencial de intensificação sustentável da pecuária de corte com uso de pastos consorciados de gramíneas e leguminosas e, também, os resultados técnicos e econômicos que vêm sendo alcançados pelas fazendas-referência do Sistema Guaxupé.

Com informações Ac24horas

- Publicidade -
Copiar