25 C
Juruá
sexta-feira, abril 12, 2024

MPF junto a PF pede ao STJ que Gladson não deve ter contato com familiares

Por redação.

- Publicidade -

A vice-procuradora-geral da república, Lindora Araújo, assinou na tarde desta terça-feira (06) o pedido da Polícia Federal que o governador do Acre Gladson Cameli não mantenha contato com o seu pai, o empreiteiro Eládio Cameli, e seus irmãos, os empresários Gledson e Eládio Júnior, todos alvos na Operação Ptolomeu, que investiga um suposto esquema de corrupção no âmbito do governo do Acre.

Para Lindora, não há a possibilidade de atender o pedido do governador que solicitou ter contato com seus familiares, principalmente o pai que já é idoso. “Não há que se falar, in casu, na transgressão ao direito de reunião familiar. A medida cautelar correlata, como fundamentado alhures, tem sua prorrogação
necessária e adequada”, argumenta a vice-procuradora geral.

Porém, a Procuradoria-Geral da República não concordou com o pedido da PF para renovação de todas as medidas cautelares no que tange a proibição do governador viajar para fora do país. Houve uma flexibilização para que ele pudesse cumprir compromissos institucionais.

“Dessarte, não há que se cogitar de medidas excessivas ou despropositadas. Os direitos dos investigados estão sendo resguardados e as medidas cautelares impostas foram balizadas, em relação a cada um dos imputados, para que estivessem ajustadas a eventuais particularidades. Nesse diapasão, subsiste a necessidade de manutenção das cautelares para preservação do escopo investigativo para o esclarecimento de todas as nuances criminosas”, argumentou a procuradora.

Lindora pediu ao Superior Tribunal de Justiça prorrogação do prazo das medidas cautelares diversas da prisão por mais 180 dias para mais de 80 investigados.

- Publicidade -
Copiar