22.8 C
Juruá
domingo, abril 21, 2024

Mulher comemora primeira gravidez aos 53 anos e maternidade aos 54

Por Redação

- Publicidade -


A escocesa Helen Dalglish, de 54 anos, tentou, incansavelmente, por 25 anos, engravidar e só sossegou quando conseguiu ter a primeira filha, Daisy Grace, nos braços, aos 54 anos, e, Dennistoun, Glasgow, na Escócia. 

Segundo o site Só Notícia Boa, ao todo, ela chegou a gastar o equivalente a R$ 617 mil em procedimentos de fertilização in vitro, até conseguir a tão sonhada gestação. 

“Quando você consegue aquele pequeno milagre, esquece os 25 anos”, disse a mãe. “[Será] que ‘estou sonhando’?”, afirmou ela, contando como foi a reação ao saber da gravidez.

Inspiração

O SNB conta que médico de Helen, Alper Eraslan, da Dunya IVF, disse que a determinação dela deve ser uma inspiração para outras mulheres que também desejam ser mães.

“Embora às vezes possa ser psicologicamente e financeiramente oneroso, com nosso apoio, conhecimento e experiência, pretendemos ajudar as mulheres que desejam ter um bebê saudável”, afirmou o médico.

Tão determinado quanto Helen, que viveu muitos momentos de tristeza profunda e desânimo até o nascimento da filha, o médico é do tipo que tem determinação, explica o site.

“Estamos muito felizes em ver mulheres como Helen finalmente tendo a chance de ter seus próprios filhos, e continuaremos a fazer o nosso melhor para ajudar outros casais a alcançar esse sonho também”, disse.

Sonho sempre, desistir jamais

Aos 20 anos, morando no Chipre, Helen e o marido, na época com 28, começaram a tentar ter filhos. Diante da dificuldades, retornaram para a Escócia, os exames nada mostravam, diziam apenas “infertilidade inexplicada”.

Conforme o SNB, Testes em Chipre revelaram um possível problema com o posicionamento do útero de Helen, mas ela disse que os médicos na Escócia não estavam preocupados.

Dali para frente, foi uma sucessão de tentativas fracassadas com financiamento privado – apesar de produzirem embriões de alta qualidade.

Helen confessou que foram tempos difíceis. “Às vezes, ficava abalada demais emocionalmente, fisicamente e financeiramente.” As tentativas, ao longo dos 25 anos, foram feitas em meio a interrupções para “descanso”, mas jamais desistência, conta o site.

Depois de mais de uma de uma década de tentativas na mesma clínica, ouviu do médico para desistir, ali decidiu ir para outra local onde pudesse realizar o sonho de ser mãe.

O Só Notícia Boa conta que a partir de então, Helen engravidou três vezes, mas sofreu abortos dolorosos. Ela retornou para Chipre, enquanto o pai na Escócia estava gravemente doente.

Foi aí que a mãe dela, principal incentivadora do projeto da gestação, sugeriu que tentasse “porque, quem sabe, o bebê seria enviado dos céus”.

“Isso me deu um empurrãozinho extra no final para ir em frente”, afirmou Helen.

O final feliz

O SNB conta que a primeira tentativa do casal falhou, enviaram os embriões para exame, quando veio a surpresa que a segunda tentativa deu certo.

“Nós dois começamos a chorar e gritar. Minha mãe pensou que eu estava triste, mas eram lágrimas de alívio e felicidade”, afirmou Helen, que teve a notícia ao lado da mãe. “Acho que meu pai deve ter algo a ver com isso”, reagiu

Com pressão alta, Helen desenvolveu pré-eclâmpsia, mas com acompanhamento médico, a gestação foi adiante e a bebê nasceu saudável.

Com a filha no colo, a mãe não resiste: “Mesmo olhando para ela, não consigo acreditar que sou mãe. É surreal”.

Com informações Top Mídia News

- Publicidade -
Copiar