31.9 C
Juruá
segunda-feira, maio 20, 2024

No Acre, R$ 6 milhões são destinados para a recuperação de ramais

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -

Garantir investimentos e políticas públicas que impulsionem cada vez mais o agronegócio acreano são prioridades da atual gestão do governo do Estado. Desde 2019, a abertura e recuperação de ramais tem ajudado no escoamento da produção do campo até a cidade e contribuído com a geração de emprego e renda.

Governo do Acre destinará R$ 6 milhões às prefeituras de todos os municípios do interior para a recuperação de ramais. Foto: Arquivo Secom

O governador Gladson Cameli aposta no potencial agrícola do Acre para transformar a atual realidade socioeconômica. De acordo com o chefe do Poder Executivo, o governo tem empregado muitos esforços em prol do desenvolvimento do estado.

“O Acre tem pressa para crescer e prova disso é que temos batido recordes de produção ano após ano. O governo está trabalhando muito no que diz respeito a assegurar condições necessárias para que a zona rural continue dando a sua contribuição com o desenvolvimento do nosso estado”, declarou.

Por meio do Departamento de Estradas de Rodagens do Acre (Deracre), o governo tem firmado convênios de repasses financeiros com todas as prefeituras do interior. Neste ano, foram disponibilizados R$ 6 milhões em recursos próprios do Estado, que serão utilizados para a aquisição de combustível pelas administrações municipais.

Gestão do governador Gladson Cameli aposta no potencial agrícola do Acre e não vem medindo esforços em prol do desenvolvimento da zona rural. Foto: Diego Gurgel/Secom.

“Em Rio Branco, o Deracre entrou diretamente com as patrulhas mecanizadas e já executa a recuperação dos ramais que estão a mais de 30 quilômetros de distância da cidade, dando assim melhores condições para quem vive e produz na zona rural”, explica Sócrates Guimarães, presidente do órgão.

Confira quanto cada município receberá este ano

Acrelândia – R$ 250 mil; Assis Brasil – R$ 200 mil; Brasileia – R$ 500 mil; Bujari – R$ 300 mil; Capixaba – R$ 250 mil; Cruzeiro do Sul – R$ 700 mil; Epitaciolândia – R$ 200 mil; Feijó – R$ 250 mil; Jordão – R$ 100 mil; Mâncio Lima – R$ 250 mil; Manoel Urbano – R$ 250 mil; Marechal Thaumaturgo – R$ 150 mil; Plácido de Castro – R$ 250 mil; Porto Acre – R$ 400 mil; Porto Walter – R$ 200 mil; Rodrigues Alves – R$ 250 mil; Santa Rosa do Purus – R$ 100 mil; Senador Guiomard – R$ 250 mil; Sena Madureira – R$ 500 mil; Tarauacá – R$ 400 mil; e Xapuri – R$ 250 mil.

- Publicidade -
Copiar