24.9 C
Juruá
sexta-feira, abril 19, 2024

Suspeito de matar motorista de aplicativo em Rio Branco rompe tornozeleira em prisão domiciliar

Por Redação

- Publicidade -


Talisson de Souza Gama, de 27 anos, que é foi preso suspeito de participar da execução do motorista de aplicativo Rener Silva de Menezes, no dia 30 de abril deste ano, em Rio Branco, rompeu a tornozeleira eletrônica que o monitorava durante prisão domiciliar.

O motorista de aplicativo foi baleado com cerca de 11 tiros no tórax, nas costas e cabeça e morreu no local. Outros dois homens também foram feridos a tiros na ação. O crime ocorreu na Rua Cunha Matos, região da Gameleira.

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) informou ao g1 que o detento deixou a cadeia no último dia 13 de junho, após receber prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica, para tratamento de saúde, concedida pela 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar de Rio Branco. Dois dias depois, ele rompeu o equipamento.

O advogado dele, Romano Gouveia, informou que ligou para a mãe do jovem assim que soube do rompimento da tornozeleira, para confirmar a situação, e orientou que ele se apresentasse ao Iapen e não se ausentasse quando fosse chamado em juízo.

“Ele está debilitado, então, por causa disso, o juiz foi muito cauteloso em dar a prisão domiciliar humanitária, enquanto ele se recupera. A defesa não concorda com o rompimento da tornozeleira, a mãe dele me disse que ele estava com medo de voltar ao presídio. Nós entendemos que ele tinha que cumprir as ordens judiciais justamente para depois provar sua inocência. Romper tornozeleira não é orientação da defesa em momento algum”, afirmou o advogado.

Gama foi preso junto com o outro suspeito do crime, Ramisses da Silva Feitosa, de 18 anos, por agentes da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), no último dia 3 de junho, no bairro Alto Alegre, em Rio Branco.

Conforme o processo, além da vítima fatal, um dos homens feridos no ataque criminoso ficou internado por mais de 20 dias no Pronto Socorro de Rio Branco, passou por cirurgias e teve a perna direita amputada. O outro ficou internado 38 dias, sendo 22 dias na UTI.

Ferido em ação da polícia

Ele, que já era alvo de investigação da Polícia Civil por outros homicídios, foi ferido com tiro durante uma abordagem policial ocorrida no dia 1 de maio no Centro de Rio Branco. Na época, Gama foi preso e levado ao Pronto Socorro de Rio Branco, mas acabou sendo posto em liberdade.

A DHPP seguiu com a apuração da morte do motorista de aplicativo e no dia 12 de maio e pediu a prisão preventiva dos suspeitos do crime, tendo sido deferida pela Justiça em 2 de junho. Por isso, o suspeito foi novamente preso com seu comparsa no dia 3 de junho. Um terceiro envolvido no homicídio ainda não foi preso.

Cumprimento de mandado de prisão foi feito no dia 3 de junho no bairro Alto Alegre — Foto: Arquivo/PC-AC

Cumprimento de mandado de prisão foi feito no dia 3 de junho no bairro Alto Alegre — Foto: Arquivo/PC-AC

No dia da prisão da dupla, o delegado responsável pelas investigações, Cristiano Bastos, informou que tinham sido cumpridos mandados de busca e apreensão e de prisão contra os suspeitos de envolvimento no ataque criminoso.

“Eles serão indiciados por homicídio qualificado e dupla tentativa de homicídio qualificado, respondendo ainda por integrar organização criminosa. São envolvidos com organização criminosa e estavam realizando ‘ataques’ em bairros rivais pela cidade”, afirmou o delegado à época.

Imagens da ação criminosa

Câmeras de monitoramento do projeto municipal “Rio Branco Mais Segura” flagraram a ação dos criminosos durante execução do motorista.

As imagens, cedidas pelo Gabinete Militar de Rio Branco, mostram o momento que três criminosos descem de um carro branco e vão em direção ao calçadão. Um outro aparentemente fica no veículo para auxiliar na fuga.

Alguns minutos depois, começa uma correria durante o ataque e várias pessoas atravessam a rua. Uma delas seria a vítima Rener Silva de Menezes, que mesmo ferido consegue correr, mas cai do outro lado da rua e é atingido por vários disparos de arma de fogo, segundo a polícia. Após os tiros, os criminosos voltam em direção ao carro e fogem do local.

Segundo a Polícia Civil, Menezes estava com um passageiro e teria parado o veículo para trocar um dinheiro. O passageiro não foi atingido. Dois rapazes que estavam próximos também ficaram feridos e foram levados para o pronto-socorro pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Um dos homens foi atingido na perna e o outro no tórax e no abdômen.

Com informações G1 Acre

- Publicidade -
Copiar