23.1 C
Juruá
terça-feira, fevereiro 27, 2024

‘Sentimos daqui o cheiro da morte’, diz profissional que está no presídio acompanhando negociações

Por A Gazeta do Acre.

- Publicidade -

Dezenas de homens e mulheres que compõem as Forças de Segurança e socorristas envolvidos na rebelião dentro do presídio de segurança máxima, Antônio Amaro, em Rio Branco.

Segundo uma fonte exclusiva da GAZETA que está no presídio, o clima é de extrema tensão e atenção redobrada.

“Todos os sentidos estão em alerta máximo, sentimos daqui o cheiro da morte, não temos ideia do que vamos nos deparar quando os portões se abrirem, mas sabemos que há muitos corpos. Não sabemos em que condições ” contou em reserva.

Por outro lado o gabinete de gerenciamento de crise, para garantir a saúde mental dos profissionais, montou esquema que possibilita o profissional a cada três horas fazer uma ligação telefônica para um familiar.

“Essa foi a maneira que encontraram para mantermos nossa família menos tensa. Estamos dentro de um barril de pólvora, cujo estopim já foi acessado” contou a fonte, que pediu para não ter a identidade revelada.

- Publicidade -
Copiar
error: Alert: O conteúdo está protegido !!