22.6 C
Juruá
terça-feira, maio 21, 2024

No Acre, mãe que iria ver o filho após mais de 1 ano tem viagem cancelada pela 123 Milhas

Por g1.

- Publicidade -
Dyanna Rocha iria se mudar junto com a filha mais nova para Recife, no Pernambuco. — Foto: Arquivo pessoal
Dyanna Rocha iria se mudar junto com a filha mais nova para Recife, no Pernambuco. — Foto: Arquivo pessoal

Dyanne Rocha é operadora de caixa em uma loja de comércio de ferro em Rio Branco e desde março, não vê o filho Pedro Miguel, de 15 anos, que é jogador de futebol e foi morar em Recife (PE). Em junho, ela comprou passagens para ela e a filha mais nova para se mudarem para o estado de Pernambuco e acompanhar o adolescente na carreira.

No roteiro de Dyanne, ela e a filha sairiam de Rio Branco na primeira semana de outubro, e iriam a Porto Velho, em Rondônia, para seguir o percurso até a capital pernambucana.

Porém, o planejamento da família sofreu um forte impacto com a suspensão de viagens compradas em uma promoção da plataforma 123 Milhas, anunciada pela empresa na última sexta-feira (18). Com o cancelamento da viagem, Dyanne não sabe quando vai conseguir embarcar. Ela já pediu demissão do atual emprego e vai começar a cumprir aviso prévio em breve.

“Comprei pela promoção e tava previsto essa viagem já há algum tempo. Comprei as passagens em 3 vezes no cartão. Comprei no mês 6 e estou pagando a última parcela esse mês. Meu filho mora no Recife, ele joga num time de futebol, ele está correndo atrás do sonho dele. E aí, eu marquei, pedi demissão do meu trabalho, mês que vem já começo a cumprir aviso. E éum transtorno pra gente que faz toda uma preparação pra ir. Comprei só de ida mesmo, a minha e da minha filha, e de um jeito ou de outro eu preciso ir. Eu preferi ir pessoalmente amanhã na OCA [Organização Central em Atendimentos], tentar esse contato com o Procon. Eles não estão oferecendo remarcação, a única coisa foi o voucher, e eu não tenho previsão de viajar tão cedo. Porque eu vou primeiro sair do Acre, a previsão é pra primeira semana de outubro, e eu preciso ir”, relata.

Suspensão das viagens

A agência de viagens 123 Milhas anunciou nessa sexta-feira (18) que irá suspender os pacotes e a emissão de passagens de sua linha promocional. A medida afetará viagens já contratadas da linha “Promo”, de datas flexíveis, com embarques previstos de setembro a dezembro de 2023.

“Devido à persistência de circunstâncias de mercado adversas, alheias à nossa vontade, a linha PROMO foi suspensa temporariamente e não emitiremos as passagens com embarque previsto de setembro a dezembro de 2023”, diz comunicado publicado no site da empresa.

A companhia informou que está devolvendo integralmente os valores pagos pelos clientes. A devolução será feita em “vouchers acrescidos de correção monetária de 150% do CDI, acima da inflação e dos juros de mercado, para compra de quaisquer passagens, hotéis e pacotes”.

‘Descaso’

Dyanna comprou apenas passagem de ida e não vai conseguir embarcar — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Dyanne conta que aguardava confirmação da data pela agência, mas que havia se planejado para embarcar no dia 4 de outubro. Segundo ela, há cerca de um ano e meio sem ver o filho, a notícia do cancelamento das passagens causou chateação à família.

Em 2021, em meio à pandemia de Covid-19, ela foi passar um tempo com o filho enquanto cursava licenciatura em geografia na Universidade Federal do Acre (Ufac). Após o fim das aulas na modalidade do ensino à distância (EAD) e retomada do ensino presencial, ela precisou retornar ao Acre para concluir a faculdade, e não vê o filho desde então.

“Veio esse baque, pra ele é difícil, porque a gente conversa, falei pra ele, e ele fica triste. Ele mora com os tios, mas não é a mesma coisa. Pai e mãe, não é a mesma coisa. Dessa idade, as pessoas me dizem pra ficar, e não tem como, ele é adolescente, é a época que ele mais vai precisar de mim. E a gente está correndo atrás de um contrato. Vou correr atrás dos meus direitos, porque eles não podem fazer esse descaso”, conta.

Orientações do Procon

Em situações como essa, o consumidor não é obrigado a aceitar o voucher concedido pela empresa. Nesse caso, é possível buscar a devolução do valor gasto com o produto, e se não for possível resolver dessa forma, o consumidor pode reivindicar seus direitos junto ao Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon).

O fiscal do Procon-AC, John Lynneker, ressalta ainda que o consumidor deve documentar todos os contatos com as empresas.

“Primeiramente, todo consumidor que for surpreendido com cancelamento da viagem dele ou algo do tipo, toda forma de contato que ele tiver com a empresa, deve ser guardado. Guardar número de protocolo, na ausência do número de protocolo, anotar data e horário. Caso seja por WhatsApp, salvar conversas, tirar print, ou seja, todo e qualquer contato junto com a empresa deve ser documentado, para facilitar qualquer devolutiva. E em caso da empresa ressarcir o voucher, fica a critério do consumidor aceitar ou não. Por que? Porque quando acontece isso, a empresa já não está com credibilidade tão grande, ela oferece o voucher, e o consumidor não tem a mesma confiança. Mas de todo modo, o consumidor não é obrigado a aceitar o voucher que eles estão concedendo”, explica.

Ainda conforme Lynneker, além de buscar atendimento presencial no Procon, é possível fazer reclamação através da plataforma consumidor.gov. Por meio do site ou aplicativo, a resposta da empresa deve chegar em até 10 dias.

“O ideal é que o consumidor procure primeiramente a empresa, por meio dos canais dela. Não tendo a devolutiva que ele deseja, ou não tendo a resolutividade satisfatória, ele pode estar procurando o Procon, presencial, ou pode fazer a reclamação através da plataforma do Consumidor.gov. O Consumidor.gov é uma plataforma do Ministério da Justiça, ela é uma plataforma super tranquila, inclusive aconselho a usar por conta da facilidade. Você pode acessar de casa, do computador, baixar o aplicativo, e ele é super intuitivo. Você vai demorar cerca de 5 minutinhos pra fazer o seu cadastro, e quando você for colocar suas informações lá, o aplicativo é super intuitivo. As perguntas são super intuitivas, e bem tranquilo de lidar. E lá, a resposta da empresa vem em até 10 dias”, finaliza.

- Publicidade -
Copiar