29.7 C
Juruá
domingo, maio 26, 2024

Puyanawas no Acre lideram ações de reflorestamento na Amazônia

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -

No Acre, associações indígenas, em parceria com cooperativas de produtores e organizações não governamentais estão atuando no projeto Aliança Reflorestar da Amazônia, que tem como objetivo a recuperação de áreas degradadas em comunidades tradicionais da região do Vale do Juruá.

Um dos territórios que vem sendo recuperado por meio do projeto é a Terra indígena Puyanawa, localizada no município de Mâncio Lima, cerca de 700 quilômetros distantes de Rio Branco. Situado à margem direita do rio Moa, o território possui uma área de 24,5 mil hectares, na qual vive uma população de cerca de 750 pessoas, dividas em duas aldeias.

O projeto é liderado por Puwe Puyanawa, e a intenção é reflorestar 1,5 mil hectares – Foto: Edgar Azevedo

Cerca de 5,8% do território perdeu a Floresta Amazônica original, uma porção de terra que já estava desmatada por fazendeiros que exploraram a região no passado, antes da demarcação, e que corresponde a cerca de 1,5 mil hectares. A demarcação do território só ocorreu em 2001.

O projeto é liderado por Puwe Puyanawa, e a intenção é reflorestar 1,5 mil hectares com madeiras de lei, árvores frutíferas e plantas de rápido crescimento que alavanquem a biodiversidade do local.

Projeto Creators Academy em terra indígena no Acre. Foto: Edgar Azevedo

“A ideia é a gente demonstrar à comunidade o que podemos fazer em áreas degradadas, e fazer desse lugar um paraíso, para que possa ter muitas frutas, plantas de medicina, madeira de lei, ressaltando nossa ancestralidade de cuidado com a floresta”, afirmou Puwe Puyanawa.

Papel fundamental na preservação

Dados do MapBiomas mostram que, em três décadas, as terras indígenas perderam apenas 1% de sua vegetação, enquanto áreas privadas perderam 20,6%.

A Aliança Reflorestar conta com o suporte da Embrapa, do governo do estado e da organização SOS Amazônia.
Os indígenas Puyanawa, com seu conhecimento sobre sementes, viveiros e sistemas agroflorestais, já plantaram 5,7 mil mudas em Tarauacá. O trabalho continua na Terra Puyanawa, com a meta de confeccionar 30 mil mudas na primeira fase do projeto.

  • Suene Almeida, do ContilNet.
- Publicidade -
Copiar