22.6 C
Juruá
terça-feira, maio 21, 2024

Acre apresenta redução de 76% nos alertas de desmatamento

Por Larissa Costa.

- Publicidade -

O Acre apresentou uma redução de 76% nos alertas de desmatamentos emitidos na primeira quinzena de setembro de 2023, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados, analisados pelo Centro Integrado de Geoprocessamento Ambiental (Cigma), órgão ligado à Secretaria do Meio Ambiente (Sema), são baseados em um levantamento feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

De acordo com o estudo, divulgado na última sexta-feira, 22, de 1° a 15 de setembro de 2023 foram registrados 82 alertas de desmatamentos, representando uma extensão de 8,84 km², sendo que no mesmo período do ano passado foram registrados 286 alertas, o que representa 37,27 km², ou seja, uma redução de 76%.

Os resultados positivos já vêm desde o início do ano, já que de 1° de janeiro a 15 de setembro de 2023 o Acre registrou uma redução nos alertas de desmatamento de 72%, em comparação com o mesmo período de 2022.

Alertas de desmatamento no Acre reduzem 76% de 1º a 15 de setembro de 2023, se comparado com o mesmo período do ano passado. Foto: Alexandre Cruz-Noronha/Sema

A secretária de Meio Ambiente, Julie Messias, ressaltou que a redução é um avanço, já que o Estado vem atuando com prevenção e combate aos ilícitos ambientais.

“A redução é resultado da união e esforço integrado entre os órgãos de comando e controle. Agradecemos o esforço de todos os envolvidos, mas, o nosso trabalho continua, pois ainda estamos em um período crítico em relação ao desmatamento e focos de queimadas por causa da estiagem”, disse.

A Sema, junto a instituições como o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), Secretaria de Segurança Pública (Sejusp), Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), Corpo de Bombeiros, Secretaria de Planejamento, Casa Civil e outros, coordena os instrumentos de comando e controle que regulam, controlam e fiscalizam os agentes poluidores e são aliados no combate às queimadas.

Essa atuação também é coordenada junto aos órgãos federais, Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e já apresenta resultados positivos.

Redução dos focos de queimadas

Em relação aos focos de queimada, o estado reduziu em 66% na primeira quinzena de setembro deste ano, se comparado com o mesmo período no ano passado. De 1º de janeiro a 15 de setembro de 2022 o número de focos de queimadas havia sido de 4.270. Já em 2023, no mesmo período analisado, foram 1.470 focos.

- Publicidade -
Copiar