23.1 C
Juruá
terça-feira, fevereiro 27, 2024

Edvaldo denuncia que carona de quase R$ 25 milhões da Secretaria de Educação visa ‘burlar’ decisão da Operação Ptolomeu com sublocações de empresas

Por Assessoria.

- Publicidade -

O deputado estadual Edvaldo Magalhães (PCdoB) voltou a falar a respeito da carona de quase R$ 25 milhões feita Secretaria de Estado de Educação com o governo do Maranhão para a contratação de uma empresa para a reforma de escolas no interior do Acre. Ele pontuou que a carona aderida visa simplesmente burlar uma decisão da Justiça Federal, que suspendeu várias empresas de atuarem em licitações no Estado, no âmbito da Operação Ptolomeu.

“Estão burlando uma decisão judicial. A empresa do Maranhão já chegou no Acre para começar a despachar sublocação de contratos e todos vamos assistir quem estava sublocado para recuperar a escola de Marechal Thaumaturgo é o mesmo que estava suspenso pela Justiça Federal. E chamam isso de interesse administrativo?”, disse Edvaldo Magalhães.

O parlamentar afirmou que espera que o plenário da Assembleia aprove o projeto de decreto legislativo do deputado Eduardo Ribeiro (PSD), que visa sustar a carona. “Eu espero que o plenário desta Assembleia tome uma atitude e aprove o projeto de decreto do deputado Eduardo Ribeiro e corrija essa injustiça. Essa carona é a carona da corrupção”, disparou.

Edvaldo salientou ainda que a Secretaria de Educação ao invés de corrigir as falhas apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado, preferiu suspender o edital de licitação, que seria aberto a todas as empresas, para pegar um caminho mais “perigoso”, que é a carona.

“Essa nota [de esclarecimento publicada pelo secretário Aberson Carvalho] foi publicada no dia 23 de agosto, porque dia 21 de agosto, em documento assinado pelo secretário, ele revogou o processo de licitação, ao invés de corrigir os problemas elencados pelo TCE. No dia 21 agosto ele tinha revogado”, citou.

- Publicidade -
Copiar
error: Alert: O conteúdo está protegido !!