23.9 C
Juruá
domingo, março 3, 2024

Em Cruzeiro do Sul, número de pessoas em situação de rua reduziu 25,3%

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -

A Prefeitura de Cruzeiro do Sul enfrenta um desafio humanitário relacionado às pessoas em situação de rua. Essa população vive de forma precária e concentram-se principalmente no Cais e na praça de alimentação, situados na região central do município. Dessa forma, grande parte da população são homens com idades entre 18 e 40 anos.

Em julho do ano de 2022, 91 pessoas encontravam-se em situação de rua na cidade. Até junho de 2023, eram cerca de 71 pessoas nesta situação, no qual 18 foram encaminhadas para comunidades terapêuticas para tratamento de reabilitação e são acompanhadas pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Por isso, atualmente é contabilizado 53 indivíduos em situação de vulnerabilidade, onde a maioria enfrenta problemas relacionados ao uso de drogas.

Diante dessas informações, um decreto municipal publicado em abril de 2022, estabeleceu a criação de um grupo formado por representantes do poder público municipal, estadual e instituições não governamentais, incluindo igrejas e comunidades terapêuticas, CAPs e outros, com a finalidade de promover ações que auxiliem essas pessoas.

Assim, em junho deste ano, a Prefeitura Municipal por meio do decreto, lançou o projeto “Nova Vida”, com ações emergenciais para o atendimento e a ressocialização de pessoas em situação de rua, envolvendo cinco áreas de atuação, compreendendo as abordagens, tratamento, apoio religioso, assistência médica e abrigo.

“Atualmente temos 53 pessoas em situação de rua registradas na prefeitura. No projeto temos uma ação de integração uma vez por mês, com um café da manhã, onde fazemos um trabalho de abordagem, cadastramos os novos que chegam, desenvolvemos também um trabalho de autoestima, levando para salão de beleza. Estamos também com ação junto com as igrejas e com a Secretaria Municipal de Saúde, que é o ambulatório de rua, onde levamos médicos, medicação, vacinas até eles”, informou o vice-prefeito da cidade e coordenador do grupo, Henrique Afonso.

Segundo ele, o número de pessoas nessas condições reduziu 25,3%, durante os três meses de ações do projeto “Nova Vida”. Além disso, Afonso voltou a mencionar uma ação anunciada em julho do ano passado, onde será construído uma república que acolha a população em situação de rua. “O último item desse nosso projeto emergencial é, no próximo ano, nós organizarmos uma república para eles, um lugar para que possam tomar café, almoçar e jantar, além de poderem se higienizar adequadamente”, disse o vice-prefeito.

- Publicidade -
Copiar
error: Alert: O conteúdo está protegido !!