23.1 C
Juruá
domingo, maio 26, 2024

Programa Nacional de Imunização completa 50 Anos no Brasil e no Acre: Um legado de saúde e desafios

Por Luana Lima.

- Publicidade -

Nesta segunda-feira, 18, o Programa Nacional de Imunização (PNI) celebra seu cinquentenário de existência no Brasil, um marco que representa um compromisso contínuo com a saúde pública e a prevenção de doenças. Esta jornada de cinco décadas é repleta de conquistas notáveis, mas também desafios constantes, especialmente em tempos de disseminação de informações errôneas e negacionismo.

Operação Gota 2023 em Sena Madureira . Foto: Luan Martins/Sesacre

Um Histórico de Vitórias na Saúde Pública

O PNI é uma iniciativa pioneira que consolidou a vacinação no Brasil e foi responsável por erradicar a poliomielite e eliminar diversas doenças transmissíveis, como o sarampo. No entanto, recentemente, o país enfrentou o ressurgimento de algumas dessas doenças devido à disseminação de desinformação e mentiras nas redes sociais, destacando a importância de estratégias eficazes de comunicação e investimento contínuo no programa.

Operação Gota 2022, na zona rural de Capixaba. Foto: Odair Leal/Sesacre

Antes da criação do PNI em 1973, a vacinação no Brasil era descentralizada, o que resultava em baixas coberturas vacinais. Hoje, com mais de 300 milhões de doses distribuídas anualmente e 38 mil salas de vacinação em todo o país, o PNI desempenha um papel fundamental na centralização do planejamento, aquisição, armazenamento e distribuição das vacinas. Isso garante a oferta de 48 imunobiológicos nas mais diversas combinações, atendendo a todos os ciclos de vida, desde crianças até idosos, gestantes, povos originários e grupos especiais.

Operação Gota 2022, na zona rural de Capixaba, com colaboração da Força Aérea Nacional. Foto: Odair Leal/Sesacre

O PNI no Estado do Acre: Um Compromisso com a Saúde Local

No Acre, desde sua implantação, o Programa Nacional de Imunização tem trabalhado incansavelmente para garantir a distribuição de imunobiológicos de qualidade e a qualificação dos profissionais que administram as vacinas nas Unidades Básicas de Saúde. Graças a essa dedicação e ao trabalho coordenado entre as esferas municipal, estadual e federal, muitos avanços foram alcançados nas últimas cinco décadas.

Vacinação Bivalente no Lar dos Vicentinos em Rio Branco em 2022. Foto: Júnior Aguiar/Sesacre

O PNI no estado conta com 246 salas de vacinação, 22 coordenações municipais, três coordenações regionais e uma coordenação estadual, o que torna o programa altamente capilarizado e acessível à população local.

Um Chamado à Vigilância e à Proteção

Renata Quiles, coordenadora do Programa Nacional de Imunização no Acre, pede que população se vacine. Foto: Diego Gurgel/Secom

Renata Quiles, coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre, destacou a importância do programa: “O PNI completa cinquenta anos, um marco para a imunização e prevenção da população. Oferecemos 48 imunobiológicos para todos os ciclos de vida, controlando, erradicando e eliminando algumas doenças. Precisamos continuar protegendo nossa população, especialmente nossas crianças, para evitar que essas doenças retornem ao nosso país e, consequentemente, ao nosso estado.”

Secretário de Saúde, Pedro Pascoal, na Campanha de Multivacinação em maio de 2023, em Rio Branco. Foto: Diego Gurgel/Secom

Pedro Pascoal, secretário de Saúde do Acre, também enfatizou a relevância do PNI: “O PNI é uma conquista que temos muito orgulho de celebrar. Desempenha um papel crucial na proteção da saúde da população. Precisamos continuar investindo e aprimorando nossas estratégias de comunicação para enfrentar os desafios atuais, como a disseminação de informações falsas nas redes sociais, e garantir que a vacinação continue sendo uma ferramenta eficaz na prevenção de doenças transmissíveis.”

Operação Gota 2023 na zona rural de Sena Madureira. Foto: Luan Martins/Sesacre

O Programa Nacional de Imunização, ao completar meio século, reafirma seu compromisso com a saúde pública, a prevenção de doenças e a proteção da população, mostrando que a vacinação continua sendo uma das maiores conquistas da medicina moderna. Entretanto, o desafio persiste em manter altas coberturas vacinais e combater a desinformação, garantindo um futuro mais saudável para todos os brasileiros e acreanos.

- Publicidade -
Copiar