31.4 C
Juruá
domingo, junho 23, 2024

“Vocês não imaginam o prazer que é estar de volta”, diz Michelle ao sinalizar que será oposição

Por Matheus Mello, Contilnet.

- Publicidade -

Em um longo discurso na sessão da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) desta terça-feira (5), a deputada Michelle Melo (PDT), finalmente se pronunciou após ser destituída do cargo de líder do governo Gladson Cameli.

A parlamentar relembrou que foi convidada por Gladson no começo deste ano para assumir o comando da base governista por conta da sua ‘autenticidade e carisma’. Michelle declarou que agiu com aquilo que o próprio governador havia pedido quando fez o convite, que ela “ajudasse o governo e não batesse palmas”.

“Jamais seria uma líder omissa, negligente e que não levasse os problemas da população como ordem do dia”, disse Michelle.

Sem apontar uma causa clara de sua saída, Michelle disse que o governo teve dificuldade de alinhamento, articulação e diálogo. “Quem não sabe onde chegar, qualquer caminho serve”.

Usando o slogan do governo, “visão de futuro, governo de todos”, a deputada alfinetou o Executivo expondo várias metas que não foram cumpridas por Gladson e de problemas enfrentados pelo governo do Estado.

“Visão de futuro pra mim é tirar o Acre do mapa da violência. Visão de futuro não expulsa famílias inteiras e as deixam passando necessidade em frente à Aleac, enquanto as autoridades fazem fotos. Ter visão de futuro é trabalhar para que os índices educacionais subam nas estatísticas de desenvolvimento e não caem, como tem acontecido”.

Michelle lembrou que não foi comunicada sobre a retirada do cargo e que soube da decisão pelos jornais locais. A deputada disse que a suposta causa pela sua destituição poderia ter sido as críticas feitas na semana passada sobre a expulsão das famílias da comunidade Terra Prometida, no bairro Irineu Serra. “Os assessores do governo garantem à imprensa que foi a minha retirada da liderança. Então estou extremamente satisfeita. Porque é digno, nobre, é valoroso. Enquanto aqui estiver eu vou lutar para que nenhuma criança passe fome e esteja estirada em um colchão no chão”.

Além disso, a deputada declarou que a encara os últimos acontecimentos como uma “resposta de Deus”.

“Pedi muito a Deus que ele abrisse portas para que eu pudesse ser uma líder que construísse um diálogo franco e verdadeiro, e principalmente honrar o compromisso que fiz com o governador. Eu encaro todos esses últimos acontecimentos como uma reposta de Deus na minha vida, me dizendo que ainda precisa de mim no contra-ponto, fazendo uma nova política”, disse.

Michelle finalizou ironizando e apontando para um caminho que deverá seguir na oposição do governo. “Vocês não imaginam o prazer que é estar de volta”.

- Publicidade -
Copiar