23.1 C
Juruá
domingo, maio 26, 2024

Aviões sobrevoam mais de 30 minutos à espera de desobstrução em pista de aeroporto em Cruzeiro do Sul

Por Sandra Assunção, do AC24horas.

- Publicidade -
Durante boa parte do dia o Aeroporto de Cruzeiro do Sul fica fechado para pousos e decolagens no aeroporto de Cruzeiro do Sul – Foto: Cedida

As obras no Aeroporto Marmud Cameli, em Cruzeiro do Sul, iniciadas em junho deste ano, estão com 68% do cronograma concluído, segundo a Vinci Airoports, que administra o terminal desde janeiro de 2022.

Durante as obras, a pista fica fechada das 6 até às 13 horas, diariamente, para pousos e decolagens. Os pilotos das companhias aéreas regionais reclamam de prejuízo e episódios que envolvem a segurança operacional dos voos, incluindo os da Força Aérea Brasileira – FAB. Já houve episódio em que um piloto teve que sobrevoar o aeroporto por mais de 30 minutos porque a pista não foi aberta no horário marcado.

Obras

Agora, no aeroporto, é executada a segunda etapa dos serviços de manutenção, que se estendem até novembro. É feita a terraplanagem na faixa de pista, construção de sistemas de drenagem e cercamento de segurança.

No local, é possível ver o movimento de máquinas, caminhões e homens do lado de dentro e de fora do aeroporto. A mão de obra empregada, segundo a empresa, é 50% de trabalhadores do próprio município.

Pista fechada e reclamações

Por causa das obras, a pista de pousos e decolagens fica fechada a maior parte do dia. O voo de passageiros da Gol Linhas Aéreas é noturno, mas durante o dia o Aeroporto Marmud Cameli é usado para pousos e decolagens de pequenos aviões, que transportam passageiros, pacientes, medicamentos e outros itens, para os municípios de Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, além de outros.

Atualmente, além de 3 empresas particulares, aeronaves militares, como da Força Aérea Brasileira – FAB, utilizam a pista do Aeroporto de Cruzeiro durante o dia.

As obras no Aeroporto de Cruzeiro do Sul iniciadas em junho seguem até novembro – Foto: Cedida

Enzio Santos, piloto de uma das empresas de aviação que atua na região, conta que além de prejuízo para as empresas de aviação regional, as obras já causaram problemas mais graves, que envolvem a segurança operacional dos voos.

Quanto ao prejuízo, ele diz que o número de voos foi reduzido. “Antes eram 4 voos de ida e volta de Cruzeiro para Marechal Thaumaturgo e agora são só 2”, relata, protestando contra o não cumprimento do horário de abertura da pista no horário estabelecido pela própria empresa que administra o aeroporto.

“O horário de abertura é 13 horas, porém já ocorreu de decolar de Porto Walter, chegar em Cruzeiro do Sul para pouso às 13 horas e ter que esperar até 20 minutos por ter máquinas na pista trabalhando. Esse atraso de 20 minutos prejudica toda a logística e operação do dia afetando nossa operação. E no dia 25 de setembro minha aeronave e uma da FAB realizou espera de 30 minutos para abertura da pista. Eu fiquei sobrevoando o aeroporto e só pousei às 13h34”, pontua.

O fato foi reportado à Agência Nacional de Aviação Civil — Anac. “Esses reportes são ocorrências que de certa forma prejudicam ou influenciam as operações aéreas e envolvem segurança operacional”, concluiu.

O Aeroporto Marmud Cameli, em Cruzeiro do Sul, é privado desde 29 de janeiro do ano passado e é administrado pela empresa Vinci Airports, por meio de um Contrato de Concessão com duração de 30 anos, assinado com a Agência Nacional de Aviação Civil – Anac.

- Publicidade -
Copiar