31.9 C
Juruá
segunda-feira, maio 20, 2024

Com 12 mil pacientes cadastrados, unidade de atenção psicossocial do Juruá atua na recuperação de vidas

Por Eliel Mesquita.

- Publicidade -

Às 8h30 da sexta-feira, 6, Marcos Pereira dos Santos chegou ao Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Náuas, em Cruzeiro do Sul, para cumprir uma das agendas do seu dia de trabalho. A presença do Marquinhos, como carinhosamente o chamam amigos, familiares e colegas de profissão, “inundou” o ambiente com energia positiva e renovou a esperança da equipe de profissionais da unidade no poder de superação do ser humano. Foi um momento em que risos se misturaram a gestos de afeto. “Olá, Marcos. Que prazer vê-lo aqui. É uma alegria notar que você está bem”, proferiam os profissionais na acolhida a Marcos Santos, que se reabilitou após anos de tratamento psiquiátrico na unidade.

Aos 22 anos, Marcos Santos é exemplo de superação aos que com ele convivem. Foto: cedida

“Ali, recebi ajuda para resgatar o equilíbrio da vida em sociedade, pois a pessoa que sofre com distúrbios mentais, como depressão e ansiedade, tende a se isolar. É um trabalho social feito para que o usuário retome às relações com familiares e volte a realizar outras atividades, como estudar e trabalhar”, enfatizou Marcos Santos.

Na mão esquerda, o Marquinhos segurava firme sua máquina fotográfica, instrumento que colaborou para a grande virada da sua vida. Naquele momento, sua missão era unir suas habilidades às lentes do equipamento para registrar fotos para esta matéria. Há quase cinco anos, o fotógrafo da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) tem agregado valor ao material produzido pela equipe de assessoria do governo do Acre no Vale do Juruá e tem sido referência na região.

“Os cuidados que recebi no Caps foram fundamentais para a reconstrução da minha vida. Recordo que anos atrás dei entrada no centro em estado crítico, necessitando de ajuda, e hoje retorno como profissional. Sinto gratidão em rever as meninas e toda a equipe que cuidou de mim muito bem e que esteve ao meu lado quando precisei”, relatou.

Registro foi feito durante agenda na Serra do Moa. Foto: Arquivo Pessoal

E completou: “Diante das boas mudanças na minha vida, só tenho a agradecer a Deus, aos familiares e, em especial, ao Caps Náuas pelo apoio”.

Palavras que salvarão vidas

As palavras registradas no livro que Elivânia Silva dos Santos escreve irão motivar outros pacientes com transtornos mentais a superarem seus desafios. A obra, ainda sem título e com apenas seis capítulos escritos, vai relatar a caminhada da paciente durante o processo de resgate do desejo pela vida.

“Quero compartilhar o meu anseio por vida, a garra para enfrentar os desafios e a assistência que tenho durante o meu tratamento psiquiátrico. Meu objetivo é mostrar às pessoas que existe vida além do sofrimento. Espero salvar muitas vidas por meio de uma história de superação”, declarou.

Ana Cristina: “Trabalhamos para que o usuário tenha vida digna”. Foto: Marcos Santos/Secom

O Caps Náuas tem sido sua base há mais de uma década, quando síndromes do pânico, depressão e outros sintomas passaram a dominar o cotidiano da paciente. “No Caps Náuas, recebi o “abraço” que alivou as dores que me atormentavam. Lá, cheguei ao entendimento de que precisava de ajuda. Fui acolhida, entendida e medicada, o que permitiu a realização adequada do meu tratamento, a conclusão da minha faculdade em Administração, a realização da pós-graduação e o início do mestrado. O Caps representa o recomeço na minha vida e me ajuda a viver tranquilamente em sociedade”, enfatizou Elivânia, mãe do pequeno Enzo, de 4 anos.

A arte como expressão da vida

Quem visita o Caps Náuas, localizado na região central de Cruzeiro do Sul, depara-se com pinturas trabalhadas pelas mãos habilidosas de Josemar Silva de Souza, de 37 anos. A beleza das obras gera inquietude e traz a certeza dos inegáveis benefícios que a arte traz para a melhoria da saúde mental do pintor, que na unidade é carinhosamente chamado de Chico.

Chico descobriu a habilidade aos 14 anos. Foto: Marcos Santos/Secom

A aptidão para registrar imagens em quadros foi descoberta na adolescência e, somada aos cuidados, atenção e incentivo das equipes do Caps Náuas, ajuda a reestabelecer a caminhada de Chico.

“O Caps tem me ajudado muito, com incentivos, pois é quando eu percebo que a pintura é um caminho para seguir em frente. Meu coração se enche de felicidade quando olho para os meus desenhos. Para mim, arte é um forma de vida”, refletiu Chico.

No dia a dia, a arte ajuda Chico a superar as dificuldades trazidas pelos transtornos. Foto: Marcos Santos/Secom

Unidade tem quase 12 mil pacientes cadastrados

“O que faz o Caps Náuas uma referência no Acre é o trabalho de uma equipe multiprofissional, que há oito anos se especializa para prestar serviços de qualidade, com foco na garantia de direitos e no resgate da cidadania e autonomia dos usuários. Além disso, buscamos apoio dos demais setores da sociedade, mantendo sempre uma boa relação com os parceiros, e realizamos o matriciamento dentro da rede de saúde. Somos uma unidade com serviços diferentes dos ofertados nos ambulatórios, nas unidades básicas de Saúde e nos hospitais, pois usamos a lógica dos cuidados e da atenção psicossocial”. Com essas palavras, a gerente-geral Ana Cristina Sales define o trabalho desenvolvido no Caps Náuas, que há quase 20 anos atua para atender pacientes com transtorno mental grave no Vale do Juruá e nos municípios da região de fronteira com o Amazonas.

Esquipe atual do Caps Náuas. Foto: Marcos Santos/Secom

Classificado na modalidade Caps 2, em que a unidade presta serviços para uma região habitada por até 100 mil pessoas, o centro tem cadastrados, atualmente, cerca de 12 mil pacientes de todos os públicos.

Ali são realizados atendimentos individuais e em grupos, oficinas terapêuticas, eventos em que o usuário ganha protagonismo, como sarau, assembleias. Além disso, são feitas abordagens à população de rua. Os profissionais do centro também realizam acompanhamento dos pacientes na busca por acesso a serviços como consultas médicas, audiências, atendimentos junto ao INSS e outros.

Além das atividades e serviços desenvolvidos no centro, equipes também atendem demandas externas. Foto: Marcos Santos/Secom

“Trabalhamos para que os usuários vivam com dignidade. Que possam ir à praça comer um lanche ou tomar um sorvete. Que possam trabalhar, estudar e ter condições de tocar a vida sem se submeter à tensão propiciada pelo tratamento e sem que haja necessidade de ser contido num espaço físico”, enfatiza a gestora.

Homenagens foram destinadas à unidade pelos relevantes serviços. Foto: Marcos Santos/Secom

O trabalho ganhou notoriedade e reconhecimento. Homenagens foram prestadas ao Caps Náuas pela Universidade Federal do Acre (UFAC) e pelo Conselho Regional de Psicologia, e no início deste ano uma Moção de Aplausos da Câmara de Vereadores local foi concedida ao caps pelos seus relevantes serviços.

Parceria que ajuda na formação e qualificação de recurso humano

O aprimoramento e fortalecimento da política de atenção e cuidado psicossocial no Caps Náuas se inicia antes mesmo da oferta dos serviços. Há mais de uma década, a parceria com a Universidade Federal do Acre (Ufac) acontece e ajuda na formação de profissionais e melhoria dos serviços na Região do Juruá. A união entre o governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde (Sesacre), e o governo federal atua para formar recursos humanos para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Na prática, a colaboração acontece por meio da formalização de documentos e na realização de serviços, com ensino, pesquisa e extensão.

“A unidade nos ajuda a aproximar a teoria da prática”, diz educadora. Foto: Marcos Santos/Secom

“A Ufac procura desenvolver a formação do estudante dentro da perspectiva da reforma psiquiátrica, que leva em conta a política de atenção psicossocial. O trabalho feito no Caps colabora com a formação dos nossos estudantes, pois na unidade o nosso aluno vê na prática a política sendo executada. Isso é relevante para a formação dos profissionais, pois aproxima teoria e prática”, enfatiza a professora do curso de Enfermagem, Alexsandra Pinheiro Costa.

A união de esforços vem gerando bons frutos. Entre as principais conquistas estão a formação e a qualificação de recurso humano, a construção de olhar humanizado sobre o usuário e os serviços ofertados no Caps Náuas, além das pesquisas seguidas de extensão.

Fortalecimento dos serviços com a contratação de novos servidores

A gestão Gladson Cameli ampliou o quadro de servidores da unidade com a contração de aprovados do concurso da Sesacre. Atualmente, o centro conta com 39 profissionais. O investimento foi importante diante da escalada da procura por serviços proporcionada pela pandemia de covid-19.

Equipe realiza semanalmente encontro para alinhar os serviços. Foto: Marcos Santos/Secom

“Com a demanda aumentando, ter equipe sem que haja rotatividade de profissionais é fundamental na continuidade do nosso trabalho. A vinda dos novos servidores foi essencial para o Caps”, ratifica Ana Cristina Sales.

- Publicidade -
Copiar