29.7 C
Juruá
domingo, maio 26, 2024

Filho do senador Randolfe é preso após desacatar PMs durante discussão

Por Estadão.

- Publicidade -

O filho do senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), Gabriel Marti Cruz Rodrigues, de 28 anos, foi preso nesse sábado (07), após desacatar policiais militares durante uma discussão em uma boate em Macapá. A Polícia Militar informou neste domingo (08) que irá  abrir uma investigação interna para apurar a prisão.

Gabriel negou as acusações em um interrogatório e disse que foi ofendido com palavras de cunho homofóbico destinados a ele e a sua família, além de ter sido ameaçado e agredido pelos policiais.

Segundo a PM do Estado, “todas as medidas foram adotadas para apurar o fato de maneira imparcial e justa” e foi instaurado um procedimento interno de investigação. “Ressaltamos o nosso compromisso com a transparência e a busca pela verdade dos fatos ”

Os policiais envolvidos na abordagem narram que, por volta das 3 da manhã, foram encerrar uma festa que acontecia em uma boate que é de propriedade do filho de Randolfe, sob a alegação que o horário ultrapassava o permitido em um alvará.

Gabriel Marti teria dito então, segundo um termo de depoimento dos policiais: “nenhum policial de merda vai fechar minha boate, vocês não sabem com quem estão falando… A farda de vocês não serve nem de pano de chão na casa do meu cachorro.”

O filho de Randolfe então recebeu voz de prisão e teria resistido, ainda de acordo com os policiais. Estes afirmaram que foi necessário “uso progressivo da força para contê-lo”.

A contenção do filho de Randolfe foi feita por mais de um policial. Segundo eles, o empresário estava “extremamente alterado” e foi conduzido até a delegacia algemado.

Filho do senador nega desacato

Na delegacia, Gabriel foi interrogado e negou ter desacatado os PMs. Ele disse que “não faz parte de seu linguajar as ofensas relatadas pelos policiais”.

Segundo o filho de Randolfe, os agentes pediram que sua boate fosse fechada à 3 horas da manhã, e que, segundo um decreto estadual, as casas noturnas permitem o funcionamento até às 4 horas.

Rodrigues narrou ter sido “ameaçado e agredido”, além de receber ofensas de cunho homofóbico contra ele e a sua família.

O filho do senador destacou que há vídeos gravados por clientes da boate que comprovam o comportamento dos agentes.

O empresário disse ainda que trabalha com o estabelecimento há três anos e que “é a primeira vez que isso acontece com ele”.

Ele foi liberado após pagar uma fiança de R$ 3.960,00.

- Publicidade -
Copiar