28.8 C
Juruá
quarta-feira, abril 24, 2024

Chikungunya: casos prováveis no Acre crescem mais de 770% em 2024, aponta Ministério da Saúde

Por Iryá Rodrigues.

- Publicidade -

O Acre registrou um aumento expressivo no registro de casos suspeitos de chikungunya. Segundo dados do Ministério da Saúde, divulgados na quinta-feira, 28, nas 12 primeiras semanas deste ano na comparação com o mesmo período de 2023, houve uma alta de 776,9% nos casos prováveis de chikungunya no estado.

Conforme o boletim do Centro de Operação de Emergências (COE) do MS, os registros de casos prováveis da doença no estado passaram de 13 no ano passado para 114 neste ano.

Com isso, a incidência da doença também aumentou no Acre. Passado de 1,43 para 13,73 casos para cada 100 mil habitantes. Essa é a terceira maior taxa da região Norte. Tocantins lidera o ranking entre os estados do Norte com a maior incidência da doença (33,41 casos por 100 mil habitantes)

Assim como no início do ano passado, nenhuma morte pela doença foi registrada este ano.

Febre chikungunya

A chikungunya é uma doença causada por um vírus, com um conjunto de sintomas similares ao da dengue. A transmissão da doença ocorre por meio da picada do mosquito Aedes aegypti. O início dos sintomas pode levar de dois a dez dias.

Os principais sintomas da chikungunya são: febre acima de 38,5 graus, de início repentino; dores intensas nas articulações de pés e mãos – dedos, tornozelos e pulsos; dor de cabeça; dores nos músculos e manchas vermelhas na pele.

- Publicidade -
Copiar