24 C
Juruá
quarta-feira, abril 24, 2024

Ficha ainda não caiu’, diz mãe de jogador de futebol morto no Acre após foto com gesto associado a facção

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -
Thiago Oseas Tavares da Silva e a mãe Rosa Maria Vilas Boas da Silva, jovem foi morto no Acre — Foto: Arquivo pessoal
Thiago Oseas Tavares da Silva e a mãe Rosa Maria Vilas Boas da Silva, jovem foi morto no Acre — Foto: Arquivo pessoal

A autônoma Rosa Maria Vilas Boas da Silva está inconformada com a morte do filho e jogador de futebol pernambucano Thiago Oseas Tavares da Silva, 18 anos. O jovem foi assassinado a tiros na madrugada do último domingo (31) no bairro Santa Inês, em Rio Branco, após postar uma foto com um gesto associado a uma facção criminosa.

Na imagem, o rapaz aparece ao lado de uma piscina e fazendo o símbolo de ‘amor e paz’, que também é associado ao Comando Vermelho. A foto foi postada na manhã de sábado (30).

Thiago Oseas estava em uma festa de aniversário quando o local foi invadido por um grupo criminoso, teve o celular vasculhado, levado para outra rua e baleado. Ele morreu no local. A Polícia Militar conseguiu prender quatro suspeitos e apreender três adolescentes que podem ter participado do crime. Veja detalhes abaixo.

O jogador estava à disposição da base do Santa Cruz-AC e chegou ao Acre há duas semanas para disputar o Campeonato Acreano Sub-20. Ele morava junto com outros jogadores em um alojamento na capital.

Jovem postou foto com o símbolo "amor e paz" porém pode ter sido confundido com membro de organização criminosa — Foto: Arquivo pessoal
Jovem postou foto com o símbolo “amor e paz” porém pode ter sido confundido com membro de organização criminosa — Foto: Arquivo pessoal

“Está todo mundo arrasado, foi uma coisa sem esperar. A gente nunca imaginava que isso aconteceria. A gente só sabe que foi por causa de uma foto que ele fez o V de vitória. O pai dele teve essa informação, o povo mandou a reportagem, mas não abri ainda. Pra mim, a ficha ainda não caiu”, lamentou.

Em entrevista à Rede Amazônica Acre, Rosa contou que foi informada da morte do filho pelo treinador Orlando Caulin, que trabalhava com o jogador há quatro anos. Em um vídeo publicado pelo ge AC, o treinador disse que o jovem era exemplar e sonhava se tornar um jogador de futebol profissional.

“Desde domingo que não como e nem durmo. Fiquei sabendo no domingo de manhã, um empresário que tinha levado ele para o time de Sergipe. Era ele que estava levando meu menino para times”, recordou.

Thiago Oseas era o filho mais velho de Rosa, que ainda tem uma filha de 15 anos e outros dois filhos, de 11 e 9 anos. O corpo do rapaz chega a Recife na noite desta terça-feira (2), às 19h40 horário local. A autônoma contou também que torce para que o celular do filho seja recuperado para ter acesso às fotos que ele tirava e guardar de recordação.

“Desde pequeno que Thiago gostava de bola, mas começou com 7 anos treinando no Náutico. Treinou no Santa Cruz, fez escolinha no Sport e também fez uma peneira, onde foi um dos primeiros selecionados, em um clube chamado Retrô”, relembrou a mãe.

Thiago Oseias integrava categoria de base do Santa Cruz-AC — Foto: Arquivo pessoal/Land Sport TV
Thiago Oseias integrava categoria de base do Santa Cruz-AC — Foto: Arquivo pessoal/Land Sport TV

Prisão preventiva decretada

A Polícia Militar prendeu Andrey Borges Melo, Darcifran de Moraes Eduino Júnior, Kauã Cristyan Almeida Nascimento e Francivaldo Barrozo de Chaves pela morte de Thiago Oseas.

Os quatro passaram por audiência de custódia nessa segunda-feira (1º) tiveram a prisão preventiva decretada pela juíza Andréa da Silva Brito.

Relembro o crime

No boletim de ocorrência, um amigo de Thiago Oseas, que também joga no Santa Cruz-AC, disse à polícia que chamou a vítima para o aniversário de um conhecido chamado Davi. Thiago e o colega de time chegaram a ir até o shopping de Rio Branco e de lá foram para o bairro Santa Inês, onde estava acontecendo a festa.

Ainda segundo o relato da testemunha, era por volta das 23h40 quando os dois chegaram à festa. Após alguns minutos, criminosos invadiram o local e disseram que havia ‘gente do CV’ lá e passaram a revistar as pessoas para pegar o celular e ver as fotos.

Os participantes da festa foram colocados na parede e questionados sobre o motivo de estarem no local e seus nomes. Os dois jogadores de futebol se apresentaram, falaram que não eram do estado e disseram de onde tinham vindo.

Ainda segundo o registro policial, Thiago e mais dois homens foram levados para uma área de mata e lá tiveram o aparelho celular vistoriado pelos criminosos. Ao encontrarem a foto da vítima fazendo o gesto associado ao grupo rival deles, os bandidos disparam em direção ao jogador.

O grupo ainda teria retornado para festa e ameaçado outras pessoas caso encontrassem algum gesto suspeito nas fotos.

A Polícia Militar conseguiu prender parte do grupo na Via Chico Mendes e no bairro Santa Inês.

  • Fonte: g1 AC. Colaborou Dayane Leite, da Rede Amazônica Acre.
- Publicidade -
Copiar