24.8 C
Juruá
segunda-feira, maio 27, 2024

Filha de 11 anos vê mãe ser morta pelo pai e avisa família em grupo de mensagem

Por g1.

- Publicidade -

Andressa Fernandes Teixeira, de 29 anos, foi assassinada pelo marido Willames Monteiro na frente da filha, de 11, nesse sábado (20), de acordo com a investigação. Nesta segunda-feira (22), a Polícia Civil deu mais detalhes do caso e informou que a própria menina que avisou a família sobre o feminicídio, ao mandar mensagens em um grupo com os familiares.

Andressa Fernandes Teixeira tinha 29 anos — Foto: Reprodução

Em coletiva de imprensa, a delegada responsável pelo caso, Eliane Benicasa, relatou que além falar sobre o feminicídio, a menina pediu por ajuda aos familiares no grupo de mensagem. Este é o 13º feminicídio, em Mato Grosso do Sul, neste ano.

“A filha, de 11 anos, mandou mensagem no grupo da família para avisar e pedir ajuda para o que estava acontecendo”, disse a delegada.

A menina foi ouvida em depoimento especial, na Delegacia Especializada no Atendimento às Mulheres (Deam). Segundo a delegada, o casal estava junto há 12 anos e tinha dois filhos, a menina que presenciou o crime, um menino, de 3.

A delegada relembrou que a vítima realizou um boletim de ocorrência contra o suspeito, em 2023. À época, Andressa não pediu medida protetiva contra o marido.

Willames Monteiro foi preso em flagrante no sábado. Nesta segunda-feira, o suspeito passou por audiência de custódia e deve responder o caso em liberdade. Ao g1, a defesa de Willames, feita pelo advogado Paulo Macena, disse que o cliente foi liberado mediante o uso de tornozeleira eletrônica.

Entenda o caso

 

Local onde a vítima foi atropelada e arrastada pelo companheiro. — Foto: Fábio Rodrigues

Local onde a vítima foi atropelada e arrastada pelo companheiro. — Foto: Fábio Rodrigues

Uma testemunha, que preferiu não ser identificada, relatou que Andressa e Willames consumiram bebidas alcóolicas durante o dia e começaram a brigar por volta das 21h. O homem, então, entrou no carro para sair de casa e a vítima sentou em frente ao portão, do lado de fora, para impedir que ele saísse.

No entanto, Willames acelerou o carro, de ré, e atropelou o portão e a mulher juntos. Andressa acabou presa debaixo do veículo e foi arrastada por alguns metros.

“Eu comecei a gritar, pelo amor de Deus para ele parar, mas ele ignorou, mandou eu não me intrometer. E ele não cedia. Aí, quando ele chegou num pé de árvore, que já não tinha como ele dar mais ré, ele arrancou o carro pra frente. E eu falando que ela estava debaixo do carro, gritando desesperada. Ele arrancou o carro pra frente e continuou arrastando ela”, descreveu a testemunha, emocionada.

Segundo a testemunha, o suspeito tentou entrar no carro novamente, mas foi contido pelos vizinhos. Contudo, familiares de Willames levantaram o carro, tiraram de cima de Andressa e levaram o veículo embora, relatou a testemunha.

Quando o Corpo de Bombeiros chegou, a vítima estava deitada no chão. Tentaram reanimá-la por vários minutos, mas sem sucesso. “Ela não respondia, ela tava sangrando pela boca, o joelho acho que quebrou o joelho, a perna, a virilha, o braço… acredito que a cabeça também, porque ele passou com o carro na cabeça dela”, completou a testemunha.

O suspeito ficou alterado e teve que ser contido pelos militares antes da polícia chegar e prendê-lo.

- Publicidade -
Copiar