32 C
Juruá
quarta-feira, junho 12, 2024

Acre registrou duas quedas de aeronaves com superlotação em menos de três meses

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -

Em menos três meses, mais um avião de pequeno porte com superlotação caiu no Acre. O primeiro acidente do ano ocorreu em Manoel Urbano, interior do Acre, no dia 18 de março e matou duas pessoas. A aeronave tinha capacidade para transportar, no máximo, quatro pessoas, e levava sete no momento da queda.

Já nessa segunda-feira (20), a aeronave Cessna Aircraft 150H, fabricado em 1968, caiu no Rio Tarauacá, na região do Tarauacá/Envira, com três pessoas abordo: o piloto, um copiloto e um passageiro. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave tem capacidade para transportar duas pessoas. A situação do avião é considerada regular.

Ainda de acordo com informação da Anac, a aeronave não tem autorização para fazer táxi aéreo. Não há informação se era esse tipo de voo que era feito no momento da queda, que ocorreu próximo à Fazenda Santa Luzia. Ninguém morreu e o governo do estado publicou uma nota afirmando que está prestando o apoio necessário aos feridos.

Aeronave foi retirada do rio com ajuda de moradores e mergulhadores do Corpo de Bombeiros

As informações são de que a aeronave saiu de Jordão, uma das cidades isoladas do estado, em direção à Tarauacá. Uma guarnição dos bombeiros foi para o local ajudar no resgate das vítimas, que começaram a ser retiradas da água pelos barqueiros.

O local onde a aeronave caiu fica a duas horas de distância da área urbana. Na tarde desta segunda, bombeiros e populares retiraram a aeronave da água.

Um vídeo que viralizou nas redes sociais mostra mergulhadores dos bombeiros e alguns moradores ajudando na remoção. Em contato com o comando do Corpo de Bombeiros de Tarauacá, o tenente R. Cavalcante informou que aguardava o retorno da equipe do local do acidente para saber mais informações sobre o ocorrido.

As informações completas devem ser inseridas em um relatório.

Avião foi retirado da água com ajuda de populares — Foto: Arquivo pessoal
Avião foi retirado da água com ajuda de populares — Foto: Arquivo pessoal

Passageiro ferido

g1 apurou que apenas o passageiro do avião, Genésio Rodrigues de Olinda, quebrou o nariz e está internado no Hospital Dr. Sansão Gomes. Ele será transferido para Cruzeiro do Sul, cidade vizinha, para tratamento médico. A informação foi confirmada pela equipe da unidade de saúde onde o avião caiu.

Ainda segundo o hospital, o estado de saúde do paciente é estável e a transferência está agendada para esta terça-feira (21) para Cruzeiro do Sul. O meio de transporte usado ainda não está definido.

O médico plantonista deve acionar um médico de Cruzeiro do Sul para decidirem qual a melhor maneira para o paciente ser transferido.

Acidente em Manoel Urbano

Sete pessoas estavam a bordo da aeronave que caiu após decolar, incluindo o piloto, sendo quatro homens e três mulheres. Eles seguiam para a cidade de Santa Rosa do Purus, distante 150 km do município de onde decolaram. Sidney Estuardo Hoyle Vega, comerciante peruano, morreu no acidente. Nove dias depois, Suanne Camelo morreu em Manaus (AM).

Além da superlotação, a aeronave não tinha autorização para atuar como táxi aéreo. O avião caiu logo após a decolagem, a 1 quilômetro da cabeceira da pista, e estava a caminho de Santa Rosa do Purus, distante 150 km do município onde ocorreu o acidente.

As investigações continuam em busca de respostas que levem às causas do acidente aéreo. A apuração é feita pela Polícia Civil de Manoel Urbano e pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

O serviço de táxi aéreo consiste em transportar passageiros a curta distância, como é o caso destas viagens intermunicipais. Desse modo, cada passageiro paga uma quantia pela passagem e, quando alcançar a quantidade máxima de pessoas na lotação, o voo sai rumo ao destino final. Como Santa Rosa do Purus é um dos municípios isolados do estado, os meios de acesso são apenas por barco ou avião.

Após dois meses, a biomédica Amélia Cristina Rocha, 28 anos, e Valdir Roney Mendes, de 59 anos, passaeira e piloto do avião, seguem internados na Unidade de Terapia Intensiva se recuperando dos ferimentos em Manaus.

Em outubro do ano passado, um avião de pequeno porte explodiu ao cair próximo à pista do Aeroporto Internacional de Rio Branco. Todas as 12 pessoas a bordo morreram. Parte dos passageiros estava viajando para receber tratamento médico. O voo decolou de Rio Branco às 7h20 com destino a Envira, no Amazonas. O avião tinha capacidade para levar 14 pessoas.

  • Fonte: g1 AC.
- Publicidade -
Copiar