30.9 C
Juruá
domingo, junho 16, 2024

Roteiro ‘Amazônia: Uma história de amor’ recebe aprovação de projeto da Lei Paulo Gustavo

Por Assessoria.

- Publicidade -

O desenvolvimento do roteiro “Amazônia: Uma história de amor”, uma história de Alexandre Nunes Nobre, foi recentemente aprovado para financiamento através da Lei Paulo Gustavo, administrado pela Fundação Elias Mansour, no Acre. O projeto está sendo tocado por Maria Meirelles e o roteiro está sendo escrito pelo jornalista Arison Jardim.

A história narra a vida de Raimundo Nonato e sua família na Amazônia, focando no cotidiano dos seringueiros e na complexidade das relações sociais na região. O projeto foi selecionado por sua relevância cultural e social, abordando temas como o extrativismo, a conservação ambiental e as desigualdades sociais.

Foto: Arison Jardim

“Este projeto é uma janela para a vida na Amazônia, uma oportunidade de mostrar não apenas as belezas naturais, mas também as complexidades da vida dos seringueiros e as desigualdades sociais que ainda prevalecem. Estou grato por poder contar essa história com o apoio da Lei Paulo Gustavo e da Fundação Elias Mansour, pois acredito que através da arte podemos incitar discussões importantes e promover mudanças significativas”, declara Nobre.

Na execução do projeto, será realizado pesquisa com personagens de grande relevância histórica para o Acre, buscando apresentar elementos que enriqueçam o conhecimento de um dos principais momentos de formação do povo acreano e seu espírito de luta, a partir da vivência nos seringais. “Tem sido um prazer poder escrever um pedaço da história do nosso estado e de personagens que se assemelham tanto a nossos antepassados, amigos e amigas que fazemos ao percorrer os rios e varadouros dessa Amazônia”, declara Jardim.

“Amazônia: Uma história de amor” é uma tentativa de humanizar e dar voz a essas comunidades, destacando suas lutas e aspirações em um contexto global que cada vez mais necessita entender e valorizar a sustentabilidade e os direitos humanos. “Como proponente deste projeto, sinto uma enorme responsabilidade e orgulho em poder ajudar a trazer à tona histórias que refletem as realidades do nosso país, especialmente de uma região tão rica e ao mesmo tempo tão desafiadora como a Amazônia. A narrativa de Alexandre é vital para o nosso tempo porque ela transcende o local, tocando em questões universais de amor, conflito e sobrevivência”, destaca Maria Meirelles, proponente do projeto.

- Publicidade -
Copiar