27.5 C
Juruá
segunda-feira, julho 15, 2024

Em Cruzeiro do Sul, Semulher dá continuidade a fortalecimento da rede de atendimento às vítimas de violência

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado da Mulher (Semulher), realiza o trabalho de fortalecimento das redes de atendimento às mulheres em situação de violência nos 22 municípios do estado. Nesta quarta-feira, 26, os debates foram realizados em Cruzeiro do Sul, na sede do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceamju) do Juruá.

Na ocasião, a diretora de Políticas Públicas para as Mulheres da pasta, Joelda Pais, com a equipe multiprofissional do Ceamju, avaliou o fluxo de atendimentos e encaminhamentos de toda a rede, levantando suas estatísticas e indicadores, além de contribuir para a integração dos profissionais que compõem a rede.

Semulher atua na articulação entre as instituições de apoio às mulheres vítimas de violência. Foto: cedida

A diretora explica que o trabalho desenvolvido e articulado pela Semulher com o objetivo de fortalecer a rede de atendimento às mulheres em situação de violência é uma ação prevista na Lei Maria da Penha. A iniciativa visa à unificação dos serviços da Assistência Social, Saúde, Segurança Pública e do Poder Judiciário, promovendo encontros dos profissionais dessas áreas para avaliar e ajustar algumas demandas e encaminhamentos.

“É uma meta constante da Secretaria da Mulher visitar os municípios e fazer encontros em cada um deles, no intuito de organizar a formação continuada da rede. Essa é a natureza do trabalho, com responsabilidade e direcionamento dos serviços, reconhecendo cada instituição como parte importante no cuidado às mulheres”, explicou Joelda.

Representantes dos órgãos da rede de proteção à mulher participam de encontro de organização e fortalecimento dos serviços. Foto: cedida

Em maio, as reuniões foram realizadas em Tarauacá e Feijó. Depois de Cruzeiro do Sul, as reuniões vêm para a capital, Rio Branco. Durante o encontro, diversos representantes dos órgãos de apoio puderam expor suas realidades, formas de funcionamento e também estreitar os laços que facilitam o acesso, diminuem o tempo de espera e dão celeridade a todas as fases do processo.

Estiveram presentes representantes da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Casa Abrigo, Patrulha Maria da Penha, Hospital da Mulher e da Criança, Hospital do Juruá, Ministério Público, centros de atenção psicossocial (Caps), centros de referência especializado de assistência social (Creas), Núcleo Estadual da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (SEE), Secretaria Municipal de Educação e o Organismo de Políticas para Mulheres (OPM).

- Publicidade -
Copiar