Após 10 dias internado com dengue grave em UTI, policial recebe alta

O policial civil Francisco da Conceição, de 40 anos, que estava internado com dengue grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, interior do estado, recebeu alta e se recupera em casa após 10 dias internado.

“Já estou bem melhor. Estou fazendo repouso para me recuperar. Mas, graças a Deus estou bem melhor. Com certeza foi um milagre. Deus usou muita gente para mobilizar desde a campanha de doação de sangue, as orações. A torcida foi grande pela minha recuperação”, comemora.

Conceição deu entrada no hospital no dia 9 de janeiro e devido ao estado clínico, ele precisou ser levado para a UTI e teve alta na última semana. Além da dengue, o policial também foi diagnosticado com leptospirose.

“Espero não passar mais por isso. Na verdade, a gente torce que esse surto seja controlado, infelizmente, ainda temos óbitos e essa é uma situação que poderia ser evitada, mas, por causa de vários fatores, ainda existe no nosso município”, lamentou.

Em Cruzeiro do Sul, já foram confirmados 524 casos de dengue, segundo dados do Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre). O balanço foi feito até o dia 27 de janeiro deste ano.

Ao todo são 1.260 casos, sendo que 452 ainda estão em investigação e outros 284 já foram descartados.

Óbitos
Uma menina de 11 anos morreu no domingo (26) após dar entrada no Hospital do Juruá com sintomas de dengue. De acordo com a Vigilância Entomológica do município, o exame de sorologia, que deve confirmar se a morte foi por dengue grave, sai em sete dias.

Caso seja confirmada, essa vai ser a segunda morte por dengue grave na cidade de Cruzeiro do Sul esse ano. No último dia 2 de janeiro, uma adolescente de 16 anos morreu no mesmo hospital por complicações da doença.

No dia 6 de novembro, a comerciante Neiva Nascimento, de 42 anos, morreu no mesmo hospital. De acordo com a Saúde do município, o exame de sorologia confirmou que ela morreu por dengue grave.

A segunda morte foi pouco tempo depois, no dia 28 de novembro. A vítima foi uma mulher de 46 anos, que não teve o nome o revelado pela Saúde.

Uma idosa de 75 anos que morreu no mesmo hospital no dia 2 de dezembro. Ela também estava com suspeita de dengue grave, mas, segundo o coordenador, o exame descartou que a morte foi causada pela doença.

  • Com informações do Portal G1.

loading...