Campanha de vacinação da gripe é prorrogada até 15 de junho, no Acre apenas 64,9% já receberam a vacina

A campanha que encerraria no dia 31 de maio foi prorrogada. A prorrogação foi anunciada  pelo próprio Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

No Acre, a meta era vacinar 90% do público alvo, mas apenas quatro dos 22 municípios alcançaram a expectativa, faltando 25% dos grupos prioritários a serem vacinados. Além do vírus tipo influenza mais conhecido como H1N1 com 36 casos e três óbitos, foram registrados mais 23 casos gripe influenza A (H3N2), com uma morte e outros 126 casos com 12 óbitos de vírus Sincicial respiratório (VSR), causa comum de infecções respiratórias.

Quem deve tomar a vacina da gripe?

Indivíduos com mais de 60 anos

Crianças de 6 meses até 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias de idade)

Gestantes

Mulheres que tiveram filho nos últimos 45 dias (puérperas)

Trabalhadores da área da saúde

Professores de escolas públicas e privadas

Povos indígenas

Portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas

Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas

População privada de liberdade

Funcionários do sistema prisional

Quais as doenças crônicas e condições especiais que credenciam o paciente a receber a vacina? Confira a relação completa a seguir:

Doenças respiratórias crônicas (asma, DPOC, fibrose cística…)

Doenças cardíacas crônicas (hipertensão, insuficiência cardíaca…)

Doenças neurológicas crônicas (AVC, paralisia cerebral, esclerose múltipla…)

Doenças hepáticas crônicas (hepatites, cirrose…)

Doenças renais crônicas (paciente em diálise, síndrome nefrótica…)

Diabetes

Obesidade

Imunossupressão (indivíduos que estão com o sistema imune abalado por doenças ou medicamentos)

Trissomias (síndromes de Down, de Klinefelter, de Wakany…)

Transplantes (órgãos sólidos e medula óssea)

E se eu não faço parte desses grupos?

Num primeiro momento, as doses estarão disponíveis apenas para os grupos mencionados acima. As outras pessoas podem se proteger na rede privada. O preço sai entre 100 e 200 reais, a depender da cidade.

O que vai dentro da vacina?

Em 2019, os agentes escalados para a vacina trivalente, disponível na rede pública, foram:

A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09

A/Switzerland/8060/2017 (H3N2)

B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87)

O vírus H1N1 se manteve o mesmo de 2018. Mas o H3N2 e o tipo B foram alterados em relação à versão anterior.

Existem outras maneiras de se resguardar?

A vacina é insubstituível. Mas outras estratégias podem ajudar:

Não compartilhe alimentos ou objetos pessoais como copos, talheres e toalhas

Lave as mãos com água e sabonete com frequência, principalmente ao sair ou chegar em casa

Cubra a boca e o nariz com um lenço descartável ao tossir ou espirrar

A vacina tem contraindicações ou traz algum efeito colateral?

Não há nenhuma condição que proíba sua aplicação. Até indivíduos alérgicos ao ovo estão liberados para tomá-la. Sobre os eventos adversos, a picada pode causar, no máximo, uma pequena alergia no local de injeção.

Aquela história de que a vacina leva a um quadro de gripe é pura mentira. Os pedaços de vírus utilizados na fabricação estão inativados e não conseguem causar mal algum.

Mas e os relatos de gente que fica com os sintomas clássicos (febre, dor no corpo, coriza, cansaço…) logo após a picadinha? A explicação é simples: o imunizante demora de duas a três semanas para surtir efeito. Nesse meio-tempo, o risco de infecção se mantém em alta – daí por que aplicar a vacina antes de o frio se instalar de vez. Além disso, esses incômodos podem ser culpa de outros agentes microscópicos, como aqueles que causam o resfriado comum.

Os médicos pedem apenas para não tomar a vacina se você estiver com sintomas moderados ou graves de uma infecção