Casal faz promessa pra engravidar e batiza gêmeas no AC com nome de Aparecida no dia da Santa

Uma verdadeira história de fé e devoção à Nossa Senhora Aparecida marcou a vida do casal Inara Gouveia Jardim e Dirceu Maia Lima. Após dois anos tentando ter filho, eles contam que conseguiram “engravidar” de gêmeas depois que entregarem o sonho nas mãos da Santa.

Em homenagem pela graça alcançada, as pequenas Maria Alice Aparecida e Maria Luiza Aparecida carregam a devoção no nome. E não para por aí, o tema de aniversário de um ano das meninas foi de Nossa Senhora Aparecida e os pais resolveram batizá-las em Cristo, neste sábado (12), data em que se celebra o dia da Padroeira do Brasil.

“Fizemos o aniversário delas de um ano em homenagem à Aparecida, o tema da festa não tinha como ser outro. E, a gente esperou para fazer o batizado delas no dia de Nossa Senhora Aparecida para que seja o dia do primeiro encontro delas com Deus e, assim, vamos homenagear mais uma vez a Santa”, diz o pai.

Lima conta que após cinco anos de casados, ele a mulher resolveram ter filhos e foi quando descobriram que tinham problemas para gerar uma criança. O casal decidiu então fazer um tratamento em São Paulo para engravidar e a primeira tentativa acabou não dando certo.

Antes de tentar pela segunda vez, eles foram até o Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo, e fizeram uma promessa. Três meses depois, eles repetiram o tratamento e deu certo, as gêmeas Maria Alice Aparecida e Maria Luiza Aparecida foram geradas.

“Minha esposa sempre foi muito devota à Nossa Senhora Aparecida. Fizemos exames e, tanto eu, como ela, tivemos problemas e não conseguíamos engravidar. Nesse momento, nos apegamos muito à Nossa Senhora e pedimos que, se fosse da vontade Dela, que a gente conseguisse essa graça. Com a benção de Deus deu tudo certo e hoje somos pais dessas duas moças”, conta Lima.

Lima lembra que todo o período da gravidez foi de dificuldades e que a mulher precisou tomar uma injeção todos os dias durante oito meses de gestação.

“Com quatro meses de gravidez, minha mulher recebeu uma ordem médica de não sair de casa para nada, tinha que ficar deitada, teve que fazer um procedimento para conseguir segurar as meninas. Foi uma gestação de muita luta e graças a Deus e Nossa Senhora elas estão bem hoje. Nossa vida mudou toda a partir do nosso primeiro momento com a igreja e com a devoção à Nossa Senhora. Ela é tudo na nossa vida”, afirma.

Por Iryá Rodrigues, G1 AC — Rio Branco