Coronel que trabalha na Sesacre é acusado de agir com truculência e de forma agressiva contra servidores do Huerb

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) divulgou nota onde repudia suposta truculência e desrespeito praticado pelo secretário-adjunto da Secretária de Saúde do Acre (Sesacre), coronel Jorge Fernando Rezende, contratado recentemente pela secretária de Saúde, Mônica Feres.

A nota afirma que Jorge foi até o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) e determinou que uma paciente furasse a fila de espera e fosse internada na frente de outras pessoas que aguardavam atendimento.

“Na noite de ontem (22), o secretário se dirigiu ao HUERB, e na sala de observação adulto, determinou a transferia uma paciente para a CLINICA MÉDICA FEMININA – CMF, mesmo tendo outros espera e maus tempo, não sendo possível, em razão da grande demanda que estava a frente de sua paciente e pela falta de colchão para o único leito disponível, no entanto, sem respeitar os fluxos, de forma muito agressiva, e arrogante, gritou com a equipe plantonista da CMF, e do setor de regulação, equipes femininas, imputando as mesmas toda imperiosidade do cargo, insinuações e humilhações, por fatos alheios a responssbilidade das equipes”, diz trecho da nota.

Confira na nota:

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre – SINTESAC, vem a público registrar o seu absoluto repúdio a conduta truculenta, agressiva, a ética e desrespeitosa do Secretário Adjunto de Estado da SESACRE, coronel Jorge Fernando Rezende, junto a equipe plantonista do Hospital de Urgência e Emergencia – HUERB.

Na noite de ontem (22), o secretário se dirigiu ao HUERB, e na sala de observação adulto, determinou a transferia uma paciente para a CLINICA MÉDICA FEMININA – CMF, mesmo tendo outros espera e maus tempo, não sendo possível, em razão da grande demanda que estava a frente de sua paciente e pela falta de colchão para o único leito disponível, no entanto, sem respeitar os fluxos, de forma muito agressiva, e arrogante, gritou com a equipe plantonista da CMF, e do setor de regulação, equipes femininas, imputando as mesmas toda imperiosidade do cargo, insinuações e humilhações, por fatos alheios a responssbilidade das equipes.

Diante dos fatos, registramos a nossa solidariedade e apoio as mães de família que estavam de plantão, ao tempo em que lamentamos e repudiamos veemente a postura ignóbil, arcaica, truculenta, desrespeitosa e desproporcional, de um gestor público, alheio a nossa realidade, e bem longe de assimilar, os principios básicos que norteiam a gestão pública, o respeito, a ética, a impessoalidade e a moralidade.

Jamais deixaremos que nossos colegas, sejam ainda mais, desrespeitados, agredidos, ameaçados ou responsabilizados pelas mazelas de um sistema, aonde nós, somos apesar de todo o esforço, sobrecarga, e empenho, apenas mais vítimas de um sistema falho, e recheado gestores com postura desarrazoada e incompatível com os ideais de crescimento.

Comunicaremos os fatos ao parlamento acriano, aos conselhos de classe, disporemos do nosso corpo jurídico a equipe agredida, e esperamos que o governador reflitar sobre suas escolhas.

Jean Marcos Lunier
Presidente em Exercício