Coronel Ulysses repudia resultado de votação no Senado que derrubou decreto das armas

Por 47 votos a 28, o plenário do Senado aprovou nesta última terça-feira, 18, o projeto que suspende os efeitos do decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que facilita o porte de armas no país. Através de seu Facebook, a maior liderança do PSL no Estado do Acre, Coronel Ulysses, se manifestou repudiando a decisão.

Segundo o Coronel, todo cidadão de bem, tem direito a possuir uma arma. “Defendo o direito do cidadão de bem em ter uma arma para sua defesa e de sua família, pois a arma nas mãos de um cidadão de bem é um instrumento de democracia e equilíbrio de forças”, disse Ulysses

 

Leia a publicação:

DEFENDO O DIREITO DO CIDADÃO DE BEM TER UMA ARMA PARA A SUA DEFESA E DE SUA FAMÍLIA, POIS A ARMA NAS MÃOS DE UM CIDADÃO DE BEM É UM INSTRUMENTO DE DEMOCRACIA E EQUILÍBRIO DE FORÇAS (Coronel Ulysses Araújo em 19/Jun/2019). Fica aqui registrado o meu repúdio e asco aos Senadores que não se importam com a vida dos cidadãos de bem, pois possuem todas as regalias e privilégios à custa do povo, inclusive dinheiro público para segurança pessoal. Parabéns aos que tiveram coragem e votaram a favor do povo. Abaixo a relação do joio e do trigo que votaram contra e a favor do povo:

 

Pela derrubada do decreto:

Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Alvaro Dias (Podemos-PR), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Cid Gomes (PDT-CE), Confúcio Moura (MDB-RO), Daniella Ribeiro (PP-PB), Eduardo Braga (MDB-AM), Eduardo Girão (Podemos-CE), Eliziane Gama (Cidadania-MA), Esperidião Amin (PP-SC), Fabiano Contarato (Rede-ES), Flávio Arns (Rede-PR), Humberto Costa (PT-PE), Jaques Wagner (PT-BA), Jarbas Vasconcelos (MDB-PE), Jayme Campos (DEM-MT), Jean Paul Prates (PT-RN), Jorge Kajuru (PSB-GO), José Maranhão (MDB-PB), José Serra (PSDB-SP), Kátia Abreu (PDT-TO), Leila Barros (PSB-DF), Mara Gabrillo (PSDB-SP), Marcelo Castro (MDB-PI), Mecias de Jesus (PRB-RR), Omar Aziz (PSD-AM), Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), Otto Alencar (PSD-BA), Paulo PAim (PT-RS), Paulo Rocha (PT-PA), Plínio Valério (PSDB-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Reguffe (sem partido-DF), Renan Calheiros (MDB-AL), Renilde Bilhões (PROS-AL), Rodrigo Cunha (PSDB-AL), Rodrigo PAcheco (DEM-MG), Rogério Carvalho (PT-SE), Romário (Podemos-RJ), Rose de Freitas (Podemos-ES), Simone Tebet (MDB-MS) ,Styvenson Valentim (Podemo-RN), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Veneziano Vital do Rêgo (PDB-PB) ,Wellington Fagundes (PL-MT), Weverton (PDT-MA), Zenaide Maia (PROS-RN).

A favor do decreto:

Angelo Coronel (PSD-BA), Arolde de Oliveira (PSD-RJ), Carlos Viana (PSD-MG), Chico Rodrigues (DEM-RR), Ciro Nogueira (PP-PI), Dário Berger (MDB-SC), Eduardo Gomes (MDB-TO), Elamno Férrer (Podemos-PI), Fernando Coelho (MDB-PE), Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Izalci Lucas (PSDB-DF), Jorginho Mello (PL-SC) ,Juíza Selma (PSL-MT), Lasier Martins (Podemos-RS), Lucas Barreto (PSD-AP), Luis Carlos Heize (PP-RS), Luiz do Carmo (MDB-GO), Mailza Gomes (PP-AC), Major Olimpio (PSL-SP), Marcio Bittar (MDB-AC) ,Marcos do Val (Cidadania-ES), Marcos Rogério (DEM-RO), Nelsinho Trad (PSD-MS), Roberto Rocha (PSDB-MA), Soraya Thronicke (PSL-MS), Temário Mota (PROS-RR), Vanderlan Cardoso (PP-GO), Zequinha Marinho (PSC-PA)