Denunciada por acúmulo de cargos, secretária de Saúde do Acre recebe R$ 17 mil do governo do DF

Após denúncia do deputado Roberto Duarte Junior (MDB) de que a secretária de Saúde do Estado, a médica Mônica Feres, estaria com duplicidade de contratos no Acre e no Distrito Federal, descumprindo a lei de que secretária de Estado deve ter dedicação exclusiva, a reportagem da Folha do Acre obteve documento onde é comprovado que Mônica consta na folha de pagamento com proventos superior a R$ 17 mil reais relativos ao mês de setembro de 2019.

Juridicamente, Mônica não poderia estar prestando serviços no Distrito Federal, mesmo que esporadicamente ou apenas dando alguns plantões por mês, já que o cargo que assumiu no Acre exige dedicação exclusiva.

Mônica Feres foi anunciada como secretária de Saúde do Acre em 3 de junho de 2019 e desde então já se afastou mais de cinco vezes do cargo por motivos de viagem. O último afastamento foi na semana passada e a justificativa, de acordo com Diário Oficial, seria a participação em um congresso de dois dias, no entanto, o afastamento foi de 7 dias.

O coronel aposentado do Exército Brasileiro, Jorge Rezende, subsecretário da Sesacre assumiu a pasta por duas vezes nos períodos de afastamento de Mônica.

A reportagem da Folha do Acre entrou em contato com a porta-voz do governo, Mirla Miranda, para saber porque a secretária de Saúde trabalha em outro estado, mas até o final da reportagem não obteve resposta. O espaço continua facultado ao contraditório.

Por Gina Menezes, da Folha do Acre.