É campeão! Flamengo vence o Independiente del Valle e conquista a Recopa

A América do Sul é, de novo, do Flamengo! No duelo entre o campeão da Libertadores e o da o Sul-Americana do ano passado, o time rubro-negro bateu o Independiente del Valle, do Equador, por 3 a 0, no Maracanã, e se sagrou campeão da Recopa Sul-Americana.

Assim como em novembro, contra o River Plate, da Argentina, Gabigol foi o nome do título. O camisa 9 abriu o placar e participou ativamente do lance que gerou o segundo gol do Rubro-Negro – marcado por Gerson. O ‘Coringa’ ainda marcou mais um, já nos minutos finais.

Essa foi a terceira taça levantada pelo Flamengo em 2020. A equipe comandada por Jorge Jesus conquistou a Supercopa do Brasil, a Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca) e, agora, a Recopa Sul-Americana.

Gabigol decide e se destaca em jogo do título

Autor do gol que garantiu ao Flamengo o título inédito da Recopa Sul-Americana, Gabigol não foi apenas o herói rubro-negro da noite, mas também o melhor homem em campo.

Com movimentação constante e espírito de luta, o artilheiro perturbou a vida dos zagueiros na saída de bola e definiu praticamente todas as boas jogadas da equipe.

Com a expulsão de Arão, homem que ajudava na marcação alta, o atacante se desdobrou na hora de defender e ainda foi o desafogo da equipe na hora de segurar o sufoco do Del Valle.

Arão expulsa e quase compromete

O volante Willian Arão foi expulso ainda no começo do jogo e quase colocou tudo a perder. Em um lance no meio de campo, o jogador rubro-negro acertou um chute na altura do peito de Caicedo e, após revisão do VAR, acabou recebendo vermelho. Com um a menos, o técnico Jorge Jesus tirou o atacante Pedro e colocou o volante Thiago Maia, fazendo com que o time perdesse a intensidade na marcação que fazia até então e desse mais espaço ao Del Valle.

Flamengo – expulsão e mudança de postura

O time de Jorge Jesus entrou com algumas mudanças. Sem poder contar com o zagueiro Rodrigo Caio e o atacante Bruno Henrique, o time teve a dupla de zaga formada por Gustavo Henrique e Léo Pereira e a parceria entre Pedro e Gabigol no ataque.

A equipe da Gávea começou o jogo pressionando e com presença no campo de ataque, mas, logo após abrir o placar, mudou a postura por conta da expulsão de Arão. Depois de uma reta final de primeiro tempo mais recuada – Thiago Maia entrou no lugar de Pedro -, conseguiu se acertar na etapa inicial e dar menos espaços ao adversário.

Del Valle – não soube aproveitar vantagem numérica

A equipe equatoriana manteve o estilo de saída de bola na base dos toques e aposta na velocidade. Com um a mais, conseguiu ter mais presença no campo de ataque, mas cometeu falhas ao arrematar as jogadas.

Apesar de um começo de segundo tempo com tentativa de se aproximar da área de Diego Alves e até fazer com que o goleiro rubro-negro fosse obrigado a fazer boa defesa, logo perdeu o ímpeto e não demonstrou forças para uma reação.

loading...